31 de julho de 2011

A Fonte da Autoconfiança!

"Abastecer-se de autoconfiança é um desafio para todas as pessoas que precisam ter poder pessoal e determinação na realização de seus propósitos. Sem falar que este sentimento é um propulsor para alavancar a realização de nossos objetivos mais profundos, para desenvolver nossa intuição, deixando-a apurada e assim conquistar aquilo que faz parte da nossa evolução. Porém, algumas coisas impedem essa busca.

Quase sempre ao passarmos por uma injustiça na vida, a primeira reação é sentir vitimização e perder confiança em si. Quando deixamos de focar naquilo que pretendemos e usamos essa desculpa (injustiça) para fugir da missão que precisamos cumprir com relação ao acontecimento; quando procuramos agradar mais aos outros do que a nós mesmos, e nos preocupamos constantemente no bem-estar do outro, deixando de dar atenção às nossas vontades e anseios; ou quando estamos constantemente indecisos, sem rumo e sem forças para crescer e expandir nossos potenciais, esses indícios só mostram falta de autoconfiança para ser o que nos destinamos a ser.

A injustiça faz parte da vida de quem só sabe reclamar da vida, do governo, das pessoas a sua volta, vive presa em noticiários que só mostra desgraça e assim por diante. Na verdade, essas desculpas, apenas servem para não enfrentarmos a realidade, os conflitos e para tomar as decisões pertinentes e favoráveis para o nosso progresso. Ao firmarmos nossos ideais, ao decidirmos o que é importante realizar, é provável que este posicionamento, frente às situações, nos afaste do “mundo injusto”, pois eu não acredito na injustiça, acredito na falta de confiança! 

Quando nos tornamos responsáveis de verdade por realizarmos o que nos cabe, deixamos de ser influenciáveis, assumindo um compromisso conosco e auxiliando também para termos confiança em nós. A indecisão é um ingrediente perfeito para tirar nosso poder de confiança, porque quando optamos por decidir em cima da influência alheia, certamente a solução não será a adequada ou as coisas darão erradas.

 Por outro lado, se confiamos em quem somos e no que queremos, a solução vem de dentro de nós, a qual é sustentada pela autoconfiança: fonte de alegria, motivação, coragem, segurança... É o poder de realizar-se sem ninguém interferir, nem mesmo dar o poder de decisão a alguém.

Agora, sem propósito, sem confiança, não há força, não há energia e nem realização de verdade. Para conquistar autoconfiança é necessário ser mais decidido ou no mínimo deixando de ser tão influenciável. E para exercitar isso, podemos parar de contar tanto nossa vida para os outros e principalmente parar de reclamar.

 Parar é não fazer mesmo, pois podemos até enganar os outros não falando, mas nos enganamos sentindo. De nada adianta não falar e continuar sofrendo sozinho. É bom agir assim, pelo menos até nos sentirmos mais confiantes em nós. Começando pela tomada de pequenas decisões, e encorajando-se para tomar as maiores.

Deixar de ser dependente da felicidade e do bem-estar dos outros, para sentir que somos capazes e felizes, por nós mesmos.Parar de ficar vendo injustiça por todos os lados. O mundo só se torna injusto para quem não tem firmeza nas atitudes, para quem não mantém foco nas metas e dispersa muito, influenciando-se por qualquer coisa.

E por fim, assumir um compromisso com nós mesmos, sabendo que somos capazes e que podemos confiar plenamente em nós, também ajuda e muito.De nada adianta querer algo e deixar à mercê de alguém ou do universo para que isto se resolva... É necessário querer, fazer, cultivar e confiar para acontecer!"

Autora: Cátia Bazzan

30 de julho de 2011

Permitindo a diminuição do ego - por Eckhart Tolle


"O ego está sempre atento a qualquer tipo de diminuição que ele perceba.

Seus mecanismos automáticos de reparo entram em ação para restaurar a forma mental relativa a “mim”.

Quando alguém nos culpa ou censura, ele tenta corrigir no ato essa sensação de diminuição do eu se justificando, se defendendo ou acusando.

Se a outra pessoa está certa ou errada, isso é algo irrelevante para o ego, que está muito mais interessado na preservação de si mesmo do que na verdade.

Até mesmo um comportamento tão corriqueiro quanto responder gritando quando outro motorista nos chama de “barbeiro” é um procedimento de reparo automático e inconsciente utilizado por ele.

Outro mecanismo bastante comum é a raiva, que faz o ego inflar temporariamente, mas de forma intensa. Todos os recursos que o ego usa para executar os “consertos” fazem total sentido para ele, porém, na verdade, são disfunções.

Os que representam os distúrbios mais extremos são a violência física e as ilusões na forma de fantasias grandiosas.

Uma técnica espiritual eficaz é permitir conscientemente a diminuição do ego quando ela acontecer e não tomar nenhuma iniciativa para restaurá-lo.

Recomendo a você que realize um teste de vez em quando.

Por exemplo, quando alguém lhe dirigir críticas, censuras ou xingamentos, em vez de revidar no ato ou se defender, não faça nada.

Deixe que sua auto-imagem permaneça diminuída e fique atento ao que isso desperta no seu interior.

Por alguns segundos, pode parecer desagradável, como se seu corpo tivesse encolhido. Depois, talvez você experimente uma viva sensação de amplitude interior. Você não foi diminuído nem um pouco.

Na verdade, se expandiu.

É provável, então, que chegue a uma conclusão impressionante: quando parece que você é diminuído de alguma maneira e não adota nenhuma reação – nem externa nem interna -, compreende que nada real foi reduzido e que, tornando-se “menos”, se transforma em mais.

Quando deixa de se defender ou de tentar fortalecer a forma do seu eu, você se afasta da identificação com a forma, com sua auto-imagem mental.

Por admitir ser menos (na percepção do ego), na verdade você passa por uma expansão e cria espaço para o Ser entrar.

O verdadeiro poder, aquilo que você é além da forma, pode então brilhar através da forma aparentemente enfraquecida.

Esse foi o sentido das palavras de Jesus quando ele disse: “Negue a si mesmo” ou “Ofereça a outra face”.

Isso não significa, é claro, que você deva suportar maus-tratos nem se converter numa vítima de pessoas inconscientes.

Algumas vezes, uma situação pode exigir que você diga a alguém para “sair de perto” de modo bem claro.

Sem a atitude defensiva do ego, haverá poder por trás das suas palavras e nenhuma força de reação.

Se necessário, pode dizer não a alguém com toda firmeza e convicção, e isso será o que eu chamo de “um não de alta qualidade”, que é livre de todo negativismo.

Se você está contente com o fato de não ser ninguém em particular, de não estar em evidência, se alinhará com o poder do universo.

O que se parece com fraqueza para o ego é, na realidade, força verdadeira.

Essa verdade espiritual é essencialmente oposta aos valores da nossa cultura contemporânea e à maneira como as pessoas são condicionadas a se comportar.

Em vez de tentar ser uma montanha, ensina o Tao Te Ching, “seja o vale do universo”.

Dessa maneira, estará reintegrado à totalidade e assim “todas as coisas acontecerão a você”.

De modo semelhante, Jesus ensina numa de suas parábolas: “Mas, quando fores convidado, vai tomar o último lugar, para que, quando vier o que te convidou, te diga: Amigo, passa mais para cima.

Então serás honrado na presença de todos os convivas.

Porque todo aquele que se exaltar será humilhado, e todo aquele que se humilhar será exaltado”

Outro aspecto dessa técnica é evitar as tentativas de fortalecer seu eu se exibindo, procurando aparecer, querendo ser especial, causando impressão ou exigindo atenção.

De vez em quando, pode ser o caso de você se conter e não manifestar suas opinião num momento em que todos estão expressando as próprias idéias.

Depois, observe como se sente a respeito."


Autor:Eckhart Tolle- O Despertar de Uma Nova Consciência,Editora Sextante

29 de julho de 2011

Reciclando o lixo interior!

 

"Resultado de competitividade sem fim, as pessoas estão a cada dia que passa acumulando doenças psicológicas. Cobranças frenéticas que vêm do trabalho, do chefe, do lar, dos filhos, da escola, dos amigos, e o resultado disso é que as pessoas vão acumulando, no decorrer do tempo, aquilo que se denomina “lixo interior” que, em outras palavras, pode ser sinônimo de sentimento de raiva, amargura, vingança e inveja. 

Esses sentimentos só aguçam as pessoas a ver o lado ruim das coisas e a intensificá-los ao máximo fazendo com que só falem do que é negativo na vida e sem que ao menos possam perceber que o ato de reclamar virou prazer. 


Não é raro, em nosso dia-a-dia, depararmos com pessoas amargas, mal humoradas, com olhos fundos e sem brilho, que fazem os outros, sem saber por que, se afastarem delas. Afinal todos temos nossos problemas, porém devemos administrá-los da melhor maneira possível, sem que para isso precisemos agredir o próximo. Esta agressão, embora não seja verbal, não deixa de ser psicológica e que, por isso, transmite uma espécie de ondas negativas. 


E o pior de tudo é que pessoas assim acabam se afastando do trabalho com sintomas de doenças psíquicas, com sensação de ansiedade e depressão e esse afastamento só piora um quadro que já é grave, pois aumenta a sensação de incredulidade, de incapacidade e de solidão. 


Se pararmos para pensar, podemos observar o mal que sentimentos negativos e mesquinhos acarretam a quem os sente e a quem os recebe. O orgulho é tão permissivo que conduz o indivíduo ao isolamento social; a inveja é sinônimo de pobreza de espírito, que só leva o indivíduo ao sofrimento pela sensação que tem de incapacidade (e na verdade não é nada disso – ele pode se quiser); toda pessoa amargurada vive com a alma em prantos e quando isso cria raízes no coração produz ressentimento e tristeza que acarreta um olhar que perde o brilho, o sentido da vida e do mundo.



 O ódio é prejudicial e desnecessário à vida, e quanto mais é alimentado, menos chance de felicidade terá quem o sente e cultiva.Nós não nascemos para cultivar sentimentos negativos, o que negaria nossa humanidade, nós nos tornamos assim - talvez em decorrência das cobranças sem limites que fazemos a nós mesmos, das preocupações excessivas, e o que é pior, às vezes não percebemos que todos esses sentimentos tomaram conta de nós.
 
Portanto, viver bem é nosso desafio, devemos nos preocupar e cuidar da nossa vida interior, eliminando o lixo e as agruras da alma, pois se assim não o fizermos, exterminaremos sem que possamos perceber, nosso sentimento mais puro e belo que se traduz no amor, na sensação gostosa de ter e de ser, de vibrar com as coisas boas da vida e de sentir boas emoções. Sem isso, deforma-se nosso ser que perde a vontade de existir! 


Se você acha que enfrenta essa fase, faça um inventário psicológico e pense em sua maior missão aqui na terra – a de viver e a de transformar esse ato sagrado em prazer. "


Autora: Maria Bernadete Pupo é consultora e gerente de RH do Centro Universitário FIEO e professora universitária da FAC-FITO, ambas em Osasco (SP), e autora do livro “Empregabilidade acima dos 40 anos” (ed. Expressão & Arte) – 

27 de julho de 2011

VOCÊ É MAIS IMPORTANTE!

 
 "A lei da atração está intimamente ligada ao autoconhecimento.São duas linhas que correm juntas e dependentes uma da outra.

Julgamento é o reflexo de que uma parte de si mesmo ainda não está se rendendo. E julgamentos negativos emitem uma freqüência de luz muito pobre. Você precisa observar a qualidade de seus pensamentos. E se eles forem nocivos, se renda...

 Deixe Para lá, traga você para perto!Você só pode observar o belo ou o feio se esta vibração estiver ardendo em seu íntimo.E quando você respeita o outro e o trata com mais gentileza é porque você encontrou dentro de si mesmo uma maneira equivalente de tratamento pessoal. E a vida responde a essa vibração!

 A vida responde aos seus sentimentos, a todos eles sem distinção.Por isso, todo o enfoque que dou é que você primeiro seja tremendamente egoísta. Cuide de si mesmo, observe mais as coisas que lhe dão prazer.Preste atenção em você. Olhe para dentro, para as correntezas de seus desejos, para o vento da sua imaginação e para a tsunami de suas emoções.

Abrace a si mesmo com ternura e orgulhe-se do seu trajeto até aqui. Forneça afeto para as suas esperanças e divirta-se com seus sonhos. Essa conduta vai nutrir os pontos vibracionais que mais necessitam de cura.O seu desejo é a porta para Deus, ele lhe mostrará o caminho do autoconhecimento e você encontrará a luz da criatividade.

E com a sua vibração voltada para o melhor, as feridas irão sarar. Os julgamentos vão estacionar, pois você concentrado em si mesmo é Deus em plena atividade oceânica!Você concentrado em sua felicidade é uma força da natureza! Não falo de um egoísmo que sai por aí derrubando paredes por você se sentir injustiçado. 
Seja autocentrado primeiro, não há ninguém mais importante do que você no mundo.

Quanto mais injustiçado você se sentir, mais injustiça vai atrair.Isso tudo acontece porque primeiramente você não está sendo justo com suas melhores vibrações. Você está desperdiçando um tempo e uma energia preciosa reclamando, enquanto quem mais está sendo injusto com o ser mais importante do universo é você.Você é o mais importante!

O mundo e os julgamentos sobre ele somem quando você está concentrado em si mesmo. Uma tremenda força divina vibra ao seu redor quando Deus está concentrado. Deus só consegue se concentrar em si mesmo, e por isso a sua postura é bela, amorosa e curativa. Não desperdice o poder de Deus que você carrega.

A vida é profundamente egoísta.Você é fruto de um espermatozóide que só pensou em si mesmo na hora de encontrar o óvulo. Você não pode pensar no outro se as suas feridas ainda estiverem abertas. E quanto mais elas estiverem abertas, mais para fora de si mesmo você estará olhando e julgando...Você não pode amar o mundo se não cultivar o egoísmo de olhar para dentro de si mesmo.

Pensar no outro enquanto o seu mundo está vibrando nocivamente será uma conduta contraproducente.Você não pode se dedicar totalmente ao outro se o seu desejo estiver necessitando de foco e concentração.E o seu desejo estará carente da sua concentração toda a vez que você estiver olhando para fora de si mesmo.

E quando você estiver se amando e cuidando de si mesmo, todos os julgamentos externos vão sumir.Seja egoísta e não desperdice a vida encontrando o egoísmo em outras atitudes.Depois de entrar em sintonia feliz com a sua proposta aqui nessa existência, você será capaz de amar a vida e observar o melhor em tudo e em todos.

 O mundo é vibratoriamente salvo se você puder cuidar de si mesmo.Maturidade é isso: uma postura que encontrou uma base de amor e compreensão em seu interior. 

Alguém imaturo, enxerga falsidade e injustiça em tudo e a vida lhe mostra mais disso! Alguém maduro encontra forças em seu espírito para observar apenas o melhor, pois ele aprendeu a tratar a si mesmo com uma qualidade melhor.

Se você estiver encontrando falsidade e injustiças por aí...Pare tudo e seja tremendamente egoísta; há alguém abandonado em seu íntimo gritando por ajuda.

 Pare tudo agora e incendeie o seu coração de todas as belezas que você já pode desejar para a sua vida.Está tudo certo!Comece devagar – com uma palavra apenas: que tal Felicidade?

 É uma sensação bela e egoísta que deixa o mundo todo iluminado, mesmo que ela esteja pulsando apenas no seu coração."

Deepak Chopra

26 de julho de 2011

Lei do Carma... ou de causa e efeito por Deepak Chopra


"Toda ação gera uma força energética que retorna a nós da mesma forma

O que semeamos é o que colhemos

É bem conhecido o ditado “você colhe aquilo que semeia”

Portanto, não há nada de misterioso na lei do carma

Obviamente, se desejamos felicidade, precisamos aprender a semear felicidade

Carma implica, então, escolha e ação conscientes

Quer você goste ou não, tudo o que está acontecendo neste momento é resultado de escolhas feitas no passado

Infelizmente, muitos fazem escolhas inconscientes e por isso, acham que não são escolhas

Mas são...

Se eu o insulto, é provável que você escolha se ofender

Se eu lhe dirijo um cumprimento, é provável que você escolha se sentir grato e envaidecido

Pense bem: é sempre uma escolha

Toda pessoa constitui – mesmo sendo um escolhedor infinito – um feixe de reflexos condicionados

Eles são disparados, constantemente por circunstâncias e por pessoas, resultando em comportamentos previsíveis

Essas reações também são escolhas que fazemos a todo momento

Simplesmente estamos escolhendo inconscientemente

Se você parar um pouco e começar a observar suas escolhas no momento em que elas ocorrem, mudará esse aspecto de inconsciência

O simples ato de observá-las transfere todo processo do terreno do inconsciente para o do consciente

Escolher e observar conscientemente é muito enriquecedor

Quando fizer uma escolha, faça uma pergunta a si mesmo:

“Quais serão as conseqüências da escolha que estou fazendo?”

“Essa escolha trará felicidade a mim e aos outros ao meu redor?”

A resposta a primeira questão você sentirá em seu coração e saberá imediatamente quais serão as conseqüências

Quanto a segunda questão, se a resposta for sim, então persista nessa escolha

Há um mecanismo muito interessante no universo para ajudar a fazer escolhas corretas

Esse mecanismo relaciona-se com as sensações físicas

Nosso corpo conhece dois tipos de sensações: uma é a do conforto e a outra é a do desconforto

Imediatamente, antes de fazer uma escolha consciente, observe seu corpo enquanto faz a pergunta “se eu escolher isso, o que acontecerá?”

Se seu corpo enviar uma mensagem de conforto, é a escolha certa

Para alguns, a mensagem de conforto e desconforto se dá na região do plexo solar (estomago)

Para a maioria, no entanto, manifesta-se na área do coração

Espere pela resposta, uma resposta física, na forma de sensação, mesmo que seja muito leve

Somente o coração conhece a resposta certa

Muita gente acha que o coração é piegas e sentimental

Não é

O coração é intuitivo

É holístico

É contextual

É relacional

Não se orienta por perdas e ganhos

Ele esta conectado ao computador cósmico que leva tudo em conta

Às vezes, pode ate parecer irracional, mas o coração tem uma capacidade mais acurada e muito mais precisa de processar dados do que qualquer outra coisa que exista nos limites do pensamento racional."


Deepak Chopra

25 de julho de 2011

O corpo é um espelho das nossas crenças!


 
Por Louise L. Hay

"Embora muitas pessoas me vejam como alguém com o poder de curar os outros, eu não curo ninguém.Meu trabalho é ajudar as pessoas a compreenderem como seus pensamentos criam, constantemente, suas próprias experiências de vida - todas elas, tanto as boas quanto as que chamamos de más experiências.

Você já se viu indo para o trabalho remoendo ressentimentos em relação a um colega ou alimentando sua insegurança por causa de uma tarefa que lhe foi solicitada?
É um exemplo simples, mas que ajuda a entender o que afirmo. Se, em vez de pensar negativamente, você procurasse pensar nas razões que poderiam ter levado o companheiro de escritório à atitude agressiva, e imaginasse formas afetuosas de resolver o conflito, seu encontro com ele poderia gerar uma aproximação feliz para ambos.

Se, em vez de inventariar suas próprias falhas, você tomasse consciência de sua capacidade e repetisse para si que poderia realizar a tarefa solicitada com sucesso - pedindo ajuda se precisasse, provavelmente você a desempenharia com outro ânimo e competência.

Nossos pensamentos podem, da mesma forma, estar contribuindo para o bem-estar ou para o mal-estar de nossos corpos.Não queremos ficar doentes e, no entanto, precisamos de cada doença que contraímos.É a maneira que nossos corpos encontram para nos dizerem que estamos com uma ideia errada, com uma percepção falsa, e que precisamos mudar nossa forma de pensar.

Tenho uma amiga que precisou passar por uma pneumonia grave para concluir que era indispensável mudar seu ritmo de vida e fazer uma terapia que a ajudasse a rever seus relacionamentos.Há pessoas que usam a doença como forma de não assumir compromissos, mantendo-se permanentemente numa situação fragilizada.

Cada doença é uma lição que precisamos aprender.Por favor, não fique só reclamando: "quero me livrar desta doença."Isso não vai trazer a cura que você deseja e você não vai aprender a lição de que necessita.

Não se coloque também numa atitude defensiva, como se a doença fosse uma espécie de acusação. Não se trata de condenar nem de sentir nenhuma culpa.Tanto na doença quanto em qualquer situação de vida, o importante é observar o que está acontecendo conosco para entender o que precisa ser libertado e transformado.

Então eu lhe digo: é hora de se curar, de tornar sua vida e seu corpo íntegros, que significa que você deseja investir na sua saúde.Eu sei que você tem, dentro de si, tudo de que precisa para conseguir isso.

Quando você começar a compreender o processo que leva à saúde ou à doença, será capaz de assumir o controle consciente das mudanças que deseja fazer.É um processo muito emocionante que vai se tornar uma das aventuras mais felizes da sua vida.

Acredito que existe um centro de sabedoria dentro de cada um de nós e que, quando estamos prontos para fazer mudanças positivas, atraímos o que é necessário para nos ajudar.Pode ter certeza de que alguma coisa dentro de você se transformou e o processo de cura já começou.

Pare um instante a leitura e diga em voz alta: Eu já comecei o meu processo de cura.O corpo é um espelho das nossas crenças e dos nossos pensamentos mais íntimos.O corpo está sempre conversando conosco. É preciso aprender a escutar o que ele tem a dizer.

Cada célula reage a cada pensamento seu, a cada palavra que você pronuncia.Por isso, se prolongamos durante muito tempo determinadas formas de pensar e de falar, elas irão produzir comportamentos e posturas corporais, assim como um maior ou menor bem-estar.

Suas palavras e pensamentos contribuem para sua saúde ou sua doença.Uma pessoa que está sempre com o rosto fechado provavelmente não tem muitos pensamentos alegres e amorosos. Os rostos e corpos dos mais velhos mostram claramente como foi sua vida e seus comportamentos.

Pare um pouco e pense: que aparência eu vou ter quando entrar na terceira idade?Como acredito que todos nós nascemos com o direito de ser completamente saudáveis e satisfeitos em todas as áreas de nossas vidas, quero ajudar você a conquistar esse direito agora.

Algumas das coisas que vou sugerir talvez pareçam simples demais, mas fique sabendo que estas ideias foram testadas muitas vezes com enorme sucesso.Elas funcionam de verdade.

Antes de continuar a ler este texto, repare no seu corpo.Coloque-se numa posição confortável, respire fundo e procure relaxar.

Abra-se para acolher todas as ideias, aceitando apenas as que se aplicam ou fazem sentido para você.
Acredito que toda doença é uma criação própria.É claro que não dizemos quero ter tal doença, mas criamos um Ambiente mental que faz com que a doença apareça e se desenvolva.

Volto a repetir: nossos diálogos interiores provocam reações em cada célula do corpo.

Ouvi um médico dizer recentemente: "Se um cirurgião operar um paciente sem fazer coisa alguma para ajudar a descobrir e curar a causa da doença, ele estará apenas adiando o problema, pois o paciente criará um outro mal-estar." Não basta tratar o sintoma. Precisamos eliminar a causa da doença.

E para isso precisamos penetrar no lugar, dentro de nós mesmos, onde o processo teve início.Somos profundamente responsáveis por quase todas as experiências por que passamos em nossas vidas.

Tanto as melhores quanto as piores.Porque, como já disse, somos nós que criamos nossas experiências através dos pensamentos que temos e das palavras que pronunciamos.

O universo apoia completamente nosso diálogo interior.Nosso subconsciente aceita como verdade aquilo em que escolhemos acreditar.Isto significa que o que acredito ser verdade a meu próprio respeito e a respeito da vida se tornará verdade para mim.

Essa é uma escolha que você faz.É claro que os pensamentos vêm à cabeça sem nosso controle, mas, ao reconhecê-los, você pode alimentá-los ou procurar desapegar-se deles, tentando olhar a realidade de outra perspectiva.

Temos também o impulso de pronunciar certas palavras, mas somos capazes de silenciá-las ou substituí-las por outras mais amorosas, impregnadas de compreensão e tolerância.O que pensamos e sentimos a respeito de nós mesmos e de nossa vida formou-se desde criança, pelas reações e comportamentos dos adultos que nos rodeavam.

Assim, se você viveu com pessoas assustadas ou com pessoas extremamente infelizes, aprendeu uma porção de coisas negativas a seu próprio respeito e a respeito da vida.E é possível que ainda acredite nelas.


Não estou dizendo isso para que culpemos nossos pais. Eles provavelmente foram vítimas de seus próprios pais e não podiam nos ensinar o que não sabiam.Se sua mãe não gostava dela mesma e se seu pai não sabia ser carinhoso e atento, eles não teriam condições de ensinar você a se amar e a se tratar com carinho e atenção.

Por mais bem intencionados que fossem.Acredito que escolhemos nossos pais. Cada um de nós decide encarnar neste planeta em épocas e locais específicos. Fazemos assim porque estamos neste mundo para aprender as lições que nos farão avançar em nosso caminho espiritual.

Para isso, escolhemos nosso sexo, nossa cor, nosso país e as pessoas que nos farão ter as experiências de que precisamos para evoluir.Muitas vezes, quando crescemos, acusamos nossos pais e nos queixamos: "foi você quem fez isto comigo, a culpa é sua".

Mas, na verdade, nós os escolhemos, porque era com eles que podíamos viver aquilo que queríamos aprender a superar.Passamos a vida criando experiências que combinem com as crenças adquiridas na infância.

Olhe para trás e observe quantas vezes você passou pelo mesmo tipo de relacionamento e pela mesma qualidade de problema.É bem possível que você tenha criado essas experiências repetidamente porque elas refletem o que você pensa a seu respeito.

Mas não adianta ficar remoendo os problemas do passado, porque é o momento presente que importa.O que aconteceu no passado, até este momento, foi criado por você, com seus próprios pensamentos e antigas crenças, sem que você se desse conta.

Mas o que você escolhe pensar, acreditar e dizer hoje, neste exato lugar, neste exato momento, está criando o seu futuro.Seu diálogo interior de agora está criando o seu amanhã, a semana que vem, o próximo mês e o ano que vem.

Então, preste atenção no que você está pensando neste instante. Você quer que este pensamento crie o seu futuro?Ele é negativo ou é positivo? Observe, preste atenção.

Não existe certo ou errado no que pensamos, e volto a dizer que não quero nunca explorar o sentimento de culpa. Pelo contrário, quero eliminá-lo, porque ele paralisa e não faz crescer.Estou querendo apenas que você entre em contato com o que está pensando, porque, em geral nós tomamos muito pouca consciência do que se passa em nossas mentes e em nossos corpos.

Só prestamos atenção quando ficamos doentes ou quando sentimos dor.E, se não sabemos o que está se passando dentro de nós, como poderemos mudar?"

Louise Hay
Fonte: http://louisehay.wwwhubs.com/

24 de julho de 2011

O poder do foco!

 
"O tamanho da força em realizar um sonho, estrategicamente, está no foco. O foco em um objetivo, sonho, empreendimento ou ideia é que vai traçar o caminho para se chegar ao que deseja, não importa se vai ser o caminho mais curto ou longo. O foco é a certeza de acertar no alvo.

Será inútil todo o seu estudo de vida, toda a sua formação acadêmica, se não tiver foco, tudo será em vão, tempo desperdiçado e dinheiro mal investido. O individuo mais humilde, quando tem foco, realiza seu objetivo, independentemente do seu tamanho.

Ficar atirando para todos os lados, como se estivesse fazendo o jogo da sorte é inútil, o desgaste de energia é maior e não se chega a nenhum objetivo desejado, a não ser ter o sentimento de fracasso.

Observa-se que as massas são os maiores reféns da situação que vivem, pelos desejos imediatistas de alcançar seus sonhos, e acabam atirando por todos os lados, na tentativa de realizar qualquer coisa, esquecendo-se até do que sonhava, para realizar qualquer coisa que alcance sucesso financeiro, na tentativa de tirar leite de pedra.



 As massas perdem a qualidade de vida no desespero pela sobrevivência, corrompem a sua sanidade física e mental pelo ser e ter para se destacar no mundo do sistema. Sem foco, perderam o alvo e o caminho do sucesso verdadeiro.


Tenha foco, use o poder que o foco tem para o alcance dos seus objetivos. Ter foco não é ter atitudes imediatistas, não é se empolgar com ideias relâmpagos e propostas vagas. Seja determinado e entenda que é melhor fazer uma só coisa, muito bem.

Não se conhece, na história da humanidade, nenhum grande líder ou gênio que chegou ao topo atirando aleatoriamente por todos os lados. 



Mahatma Gandhi, suportou muitas perseguições para alcançar independência da Índia; Jesus Cristo teve foco na evangelização e salvação da humanidade, mesmo sabendo que ia ser crucificado, não saiu do seu foco, e trouxe-nos a salvação; Winston Churchill teve foco na busca de aliados para derrotar o nazismo, na segunda guerra mundial; ex-presidente Luiz Inácio Lula, depois de muitas derrotas eleitorais, chegou à presidência do Brasil. Todos eles foram homens comuns e chegaram ao topo do sucesso passando por muito desafio.

Eis o Poder do Foco! Seja determinado e busque o seu."

Por: Waldecy E. M. Esteves

22 de julho de 2011

Você sabe escolher suas batalhas?


  
"O desafio é encontrar o equilíbrio, aprender a escolher as batalhas, saber quando avançar, quando parar e quando recuar. É preciso que a gente aprenda a lutar pelo que acreditamos de forma cuidadosa, causando o mínimo de ferimentos, afinal, em geral, os "oponentes" dessa luta são as pessoas que mais amamos"


"Quando eu tinha 18 anos de idade, eu adorava uma batalha! Não importava muito o motivo que tivesse gerado a discussão. Bacana mesmo era lutar pelo que eu queria, testar minha força, meu poder de persuasão.
Naquela época eu me sentia invulnerável, capaz de enfrentar monstros e dragões. Eu podia me colocar em frente a uma árvore para impedir que fosse derrubada, podia lutar pelos direitos das minorias oprimidas... mas também lutava por coisas absolutamente sem importância, e em meio a tantas batalhas, lá que ia embora uma boa quantidade da minha energia em embates certamente dispensáveis.

Aos 18 anos isso faz sentido, afinal precisamos aprender a lutar, certo treino é mesmo necessário, para desespero dos pais, nossos treinadores e "oponentes" prediletos!

Mas o tempo passa, os ferimentos de batalha vão marcando nossa pele e, embora não aconteça com todos, alguns de nós vamos nos tornando mais sábios e aprendendo que nem toda batalha vale a pena ser travada. Às vezes é mais sábio recuar, às vezes é mais sábio assoviar e olhar para o lado enquanto uma batalha acontece. Às vezes é muito mais sábio abrir mão de um pouquinho daquele delicioso gosto de vitória para preservar a paz. 

Mesmo porque, com o tempo, descobrimos que o gosto de vitória, apesar de ser doce na hora da conquista, depois se torna amargo. Muitas vezes sofremos ao ganhar uma batalha, quando percebemos o quanto a luta travada feriu, destruiu, machucou. (Quantas vezes, após uma briga, nos sentimos culpados por termos ferido a alguém que amamos?)

Só os mais maduros compreendem o valor contido nessa palavra: paz. Assim, não queiram explicar isso aos que estão começando seu caminho de vida. Dirão que você é covarde, ou que fica em cima do muro, ou qualquer coisa parecida. Quem entende dessas coisas são os que já se feriram e cansaram muito nos embates da vida. São os sábios que sabem que nossa energia é limitada e que o melhor é guardá-la para quando for de verdade necessário.

Relacionamento algum tem chance de sobreviver se for palco de batalhas frequentes e intermináveis. Quem suporta viver em guerra? A luta sem pausas vai cansando, exaurindo, drenando o que aquela relação tem de melhor. Pais e filhos, marido e mulher e até mesmo amigos que vivam em clima de guerra têm uma boa chance de estragar de forma irremediável o que poderia ser uma bela relação.

Claro que existem batalhas que não podem ser evitadas, e nessas batalhas devemos entrar inteiros, movidos por nossa intenção lícita de preservar a integridade, a verdade, a transparência, o respeito.

Um relacionamento onde nunca existem batalhas é tão desequilibrado como aqueles em que se briga por tudo. O conflito é parte de uma relação saudável, certa dose de conflito nos faz crescer e mostra nosso comprometimento em preservar a própria pele, em estabelecer limites saudáveis, em negociar soluções que possam respeitar as partes envolvidas. 

O desafio é encontrar o equilíbrio, aprender a escolher as batalhas, saber quando avançar, quando parar e quando recuar. É preciso que a gente aprenda a lutar pelo que acreditamos de forma cuidadosa, causando o mínimo de ferimentos, afinal, em geral, os "oponentes" dessa luta são as pessoas que mais amamos.

Eu acredito que antes de nos tornarmos capazes de minimizar as guerras em um nível planetário, precisamos aprender a criar paz em nossos lares. Esse é o desafio de cada um de nós. "

por Patricia Gebrim
Fonte:http://www2.uol.com.br/vyaestelar/

21 de julho de 2011

Os Mecanismos de defesa e as mudanças!


 

"Mecanismos de defesa não curam. Na melhor das hipóteses, são curativos emocionais que você põe sobre os ferimentos, como para estancar o fluxo do medo e da dor. 

Tal como ocorre com os ferimentos físicos, mais cedo ou mais tarde você precisa tirar os curativos para que a cura aconteça. Do contrário, o ferimento se infeciona,
 e a dor se espalha.
O fortalecimento e a cura costumam começar com o afastamento de mecanismos de defesa como o medo, negação, repressão, cinismo, raiva, controle, abuso de substâncias, distúrbios alimentares, etc.

 As defesas garantem espaço, mas não o curam, não o fortalecem e não resolvem seus problemas. Na verdade, podem aumentar seus problemas, caso você insista em ficar com eles.

Um mecanismo de defesa protege você de qualquer coisa "excessiva", ou seja, medo em demasia, dor em demais, tristeza em demasia, estresse em demasia e também amor em demasia, alegria em demasia, criatividade em demasia, Deus em demasia.

 Um professor que tive, disse certa vez, 'O homem se defende do medo porque se defende de Deus. Quando você diz 'sim' para Deus, o medo vai embora'.
Mecanismos de defesa são coisas do ego. Quando você se defende, está defendendo seu ego, seus medos, suas fraquezas imaginárias. 

Aquilo que você defende torna-se real, ou seja, quanto mais você defende o seu ego, mais você se identifica com ele e mais se abriga do verdadeiro espírito, da verdadeira inspiração e do verdadeiro poder.
Dizer que as defesas o fortalecem é um mito. Não é possivel ficar na defensiva e ser livre. Não é possível reprimir emoções e se sentir íntegro. Não é possível erguer um muro à sua volta e se ligar a Deus. Não é possivel ficar ao lado do medo e também ficar aberto ao amor.

Afastar as defesas abre caminho para a verdadeira cura, o verdadeiro amr e a verdadeira força. Quando você sente alegria, está ouvindo seu espírito.

 Não é o perigo que vem quando você abaixa suas armas. É a cura. É a alegria. É a inspiração. É a liberdade".

Robert Holden - "Mudanças acontecem"

20 de julho de 2011

A caridade, a atitude e você!


  
"Você tem observado os quadros do mundo e tem sentido o coração apertado, mais de uma vez.Você assiste, pela TV, as cenas de crianças morrendo de fome, de doentes em corredores de hospitais perecendo por falta de assistência.“É o caos”, pensa você. E espera que o governo tome providências. Que as autoridades se movimentem.

Entretanto, não se demore na posição de comentarista.Pense no que você pode fazer.Não diga que é pobre e incapaz de contribuir na campanha do bem ao próximo.Pensemos juntos.Se você renunciar a um refrigerante em cada cinco, segundo os seus hábitos, poderá destinar a quantia, ao final de um mês a um hospital.A sua renúncia equivalerá a uma medicação para um doente.

Se você renunciar ao cinema uma vez em cada cinco, endereçando o valor economizado a uma creche, ao término de algumas semanas a instituição contará com mais leite em favor daquelas crianças.

Se você renunciar à compra de uma revista em cada cinco que costuma adquirir, ao término de duas ou três semanas, o valor poderá ser destinado a uma instituição que acolha idosos.O dinheiro poderá servir, quem sabe, para comprar uns docinhos extras, pequenas guloseimas que eles ainda apreciam.

Se você economizar as peças de vestuário, guardando a importância equivalente a uma delas em cada cinco, ao final de um ano você disporá de recursos suficientes para vestir alguém que a nudez ameaça.

Se você deixar de ir ao restaurante uma vez em cada cinco que costume ir, ao final de algumas semanas, poderá encaminhar o valor economizado a um albergue para alimentar quem se encontra distante do próprio lar.

Se você economizar o equivalente à aquisição de um novo calçado, a cada cinco, poderá endereçar o valor para uma instituição que lute com dificuldades para pagar a conta da energia elétrica, da água ou do supermercado.

Não espere, portanto, pelas decisões do governo. Ou que pessoas mais abonadas do que você realizem aquilo que você pode realizar.Será uma gota no oceano, dirá você.


 Mas não esqueça que o oceano é feito de gotas d’água e que o rio começa com um filete na fenda da montanha.Não espere pela bondade dos outros.

Lembre-se daquela que você mesmo pode fazer.É possível que você diga que tem direito ao supérfluo, porque luta e trabalha para isso. E tem razão. Mas pense naqueles a quem falta o necessário.


Você pode afirmar que está contribuindo com a indústria do refrigerante, a mídia escrita, as empresas da moda e os restaurantes.Porque todos são fonte de trabalho para muitas pessoas. É verdade. Mas o que você economizar, destinando a outrem, continuará movimentando a indústria e o comércio.

E estará diminuindo dores, mitigando a fome, protegendo corpos, enriquecendo um pouco a mesa de alguém que já abandonou os sonhos há muito tempo...Não contestamos seu direito de decidir a forma de empregar os seus recursos amoedados.

A vontade é atributo do espírito. É dádiva de Deus para que decidamos, por nós, quanto à direção do próprio destino.O nosso lembrete é somente uma sugestão para aqueles que acreditam na força da caridade.E essa caridade só terá realmente valor se houver algum laço entre a caridade e você.
***
Caridade é bênção sublime a se desdobrar em socorro silencioso.
É uma escada de luz onde o próximo é o degrau evolutivo que permite a ascensão e o auxílio fraternal é oportunidade iluminativa.

A caridade – vida da alma – é a mais alta conquista que o homem poderá colocar como meta para si mesmo."

Equipe de Redação do Momento Espírita com base no cap. 57 do livro O Espírito da verdade, de Espíritos diversos, psicografia de Francisco Cândido Xavier e Waldo Vieira.

18 de julho de 2011

Comparação: uma tendência suicida



 "Ajustamento implica que me comparo com outrem, medindo o que sou ou penso que deveria ser, em comparação com o herói, o santo, etc. Onde há ajustamento, há necessariamente comparação. Descubra se você é capaz de viver sem comparação, que dizer, sem ajustamento.

Desde a infância, somos condicionados para comparar – “Seja como seu irmão, como sua tia-avó”, “Seja igual ao santo”, “Siga Mao”. Na educação, comparamos: nas escolas damos notas ao alunos e os submetemos a exames. Não sabemos o que significa viver sem comparar e sem competir e, portanto, não agressivamente, não violentamente.



Comparar-se com outro é uma forma de agressão e uma forma de violência. Violência não é só matar ou espancar alguém; é também espírito comparativo: “Preciso ser igual a fulano”, ou “Preciso aperfeiçoar-me”. O aperfeiçoamento próprio é a verdadeira antítese da liberdade e do aprender. 

Descubra por si mesmo um maneira de viver sem comparação, e verá acontecer uma coisa maravilhosa. Se realmente se tornar vigilante, sem nenhuma escolha, verá o que significa viver sem comparação, e nunca mais pronunciará as palavras “Eu serei”. 


Somos escravos do verbo “ser”, que implica: “Serei no futuro uma pessoa importante.” A comparação e o ajustamento andam sempre juntos; nada criam senão repressão, conflito, interminável sofrer. Importa, pois, descobrir uma maneira de viver em cada dia, sem nenhuma comparação.


Faça-o e verá como isso é maravilhoso, como lhe liberta de tantas das suas cargas. Desse percebimento nasce uma mente sobremodo sensível e, portanto, disciplinada – que está constantemente aprendendo, não o que deseja aprender ou o que lhe dá gosto e satisfação aprender: aprendendo.


Tornar-se consciente do condicionamento interior causado pela autoridade, pelo ajustamento a um padrão, pela tradição e a propaganda, pelos ditos de outras pessoas, e pela experiência acumulada, sua própria e da raça e da família. Tudo isso se tornou autoridade.


Onde há autoridade, a mente não será jamais livre para descobrir o que cumpre descobrir: uma realidade eterna, inteiramente nova."



Krishnamurti -  
Fonte: http://nossaluzinterior.blogspot.com  
 

17 de julho de 2011

Decida ser Feliz!!


"A sociedade não pode permitir o êxtase. O êxtase é a maior revolução. Se as pessoas ficarem em êxtase, toda sociedade terá que mudar, porque a sociedade está baseada na miséria.

Se as pessoas forem felizes, será impossível levá-las á guerra, ao Egito ou Israel. Alguém que é feliz apenas rirá e dirá: Que absurdo!

Se as pessoas forem felizes, você não poderá torná-las obcecadas por dinheiro. Elas não disperdiçarão suas vidas acumulando dinheiro. Isto parecerá uma loucura, trocar suas vidas por dinheiro morto, ficar morrendo e acumulando dinheiro, sendo que o dinheiro ainda existirá quando elas estiverem mortas. Isto é uma loucura total! Mas esta loucura não pode ser vista a menos que você esteja em êxtase.

Se as pessoas estiverem em êxtase, todo padrão desta sociedade terá que mudar.
Esta sociedade vive na miséria.

A miséria é o maior investimento desta sociedade. Assim nós criamos as crianças, desde o nascimento, criamos um aprendizado através da miséria. Eis porque elas escolhem a miséria.

Pela manhã, todo mundo pode escolher.
E não apenas ao amanhecer; na verdade, a todo momento há uma escolha entre ser miserável ou feliz.

Mas você sempre escolhe ser miserável porque há um investimento.

Você sempre escolhe ser miserável porque isto se tornou um hábito, um padrão.Você sempre agiu assim. Tornou-se eficiente nisso, esta é sua trilha.
A miséria é tão antinatural, ninguém quer ser miserável e todos são miseráveis. A sociedade fez um grande trabalho, uma grande obra.

A educação, a cultura e os agentes culturais, os pais, os professores fizeram uma grande obra.Transformaram criadores extasiados em criaturas miseráveis. Toda criança nasce em êxtase, toda criança é um deus ao nascer.

E todo homem morre como um louco.

A menos que você descubra, a menos que você recupere a sua infância não será capaz de tornar-se como as nuvens brancas no céu..Este é todo seu trabalho, SADHANA, recobrar sua infância, recuperá-la . Se vocês puderem se tornar crianças novamente então não haverá mais miséria.

Uma criança pode sentir-se miserável, pode ficar infeliz, intensamente infeliz em um momento, mas ela é tão total nesta infelicidade ela é tão inteira nessa infelicidade, que não existe divisão. Ela não rejeita este sentimento. A criança não olha para a infelicidade, ela É a infelicidade no momento, e quando você se torna inteiro na infelicidade, a infelicidade não é mais. Então ela tem sua própria beleza.

E após a raiva, a criança fica silenciosa.

Após a raiva, a criança fica em paz..
Se você se tornar inteiro em alguma coisa, ficará feliz. Se separar a si mesmo de qualquer coisa, tornar-se-á miserável. 

Fique dividido com o ego e esta será a base de toda miséria. Fique inteiro, fluindo com tudo o que a vida traz, fique nisso intensamente, totalmente, de modo a não ser mais, a se perder...e tudo será felicidade.

Torne-se alerta, em todos os momentos em que estiver escolhendo ser miserável, lembre-se: a escolha é sua. Esta conscientização o auxiliará, essa percepção de que a escolha é sua, de que você é o responsável e de que isto é o que você está escolhendo manifestar na sua vida.

E uma vez que você sabe que a escolha é sua, a coisa toda se torna um jogo. Não existe ninguém que seja responsável por suas escolhas, só você.

O drama é seu, não pergunte aos gurus ou as pessoas como deixar de ser miserável, isto é absurdo. As pessoas chamadas de gurus existem porque vocês são tolos. Vocês criam a miséria, e depois vão perguntar aos outros como livrar-se dela. E continuam criando miséria porque estão inconscientes das suas ações.
Apartir deste momento sejam felizes, experimentem"..

Fonte: OSHO, Meu caminho: O caminho das nuvens brancas

MEIO AMBIENTE – SOBREVIVÊNCIA E ESPIRITUALIDADE!


 


"A todo instante assistimos às catástrofes ambientais divulgadas pelos principais meios de comunicação. Vastas áreas florestais destruídas pelo fogo, explorações madeireiras clandestinas, depleção de estoques pesqueiros, aterros de mangues, poluição, efeito estufa, derramamentos de petróleo, instabilidade climática. Resultados de fortes ações propositais e inconseqüentes causadas pelo homem ao meio ambiente.

 Mas existem também as pequenas ações, praticadas no dia-a-dia pelos bilhões de seres humanos que habitam o Planeta Terra, e cujo somatório revertem-nas em catástrofes muitas vezes ainda maiores que aquelas. O acúmulo de lixo, o gasto excessivo de água e energia elétrica, e ainda a falta de manifestação pública das pessoas de uma forma geral, a favor de um maior comprometimento dos governos, indústrias e empresas, são comportamentos comuns em nossa sociedade.

A Internet está repleta de Organizações, relatos, manifestos em defesa do meio ambiente. Mas ainda são pequenas sementes. É preciso que todas as pessoas se engajem nessa luta pelo maior patrimônio da humanidade que é o Planeta em que vivemos!

A maioria das pessoas ainda não percebeu que preservar a natureza não é simplesmente uma atitude poética ou apologética à beleza, à paz, à harmonia, à sabedoria da natureza. Apesar do nosso planeta de fato apresentar estas dádivas, nossa dependência a nível de sobrevivência suplanta estas questões. O homem ainda não percebeu que vem destruindo suas próprias garantias de sobrevivência. Além disso, cada vez compromete mais sua qualidade de vida.


Como bem expressou Céu D´Ellia, os indicadores da crise ambiental refletem mais que uma crise ambiental, mas a nossa crise é sim, reflexo de uma crise maior: de valores, relacionamentos, identidade e conhecimento (e adiciono que tudo isso está relacionado ao espiritual), levando-nos ao consumo inconseqüente, que coloca o planeta em risco.

O espiritual, que não significa religiosidade, como cita Sérgio Buaiz, envolve valores morais e éticos, solidariedade, atitude positiva e responsabilidade social. E como exercer estas questões se olvidamos a questão da preservação do meio ambiente, da garantia do bem-estar das gerações futuras?

Assim, a preservação do meio ambiente está associada a uma necessidade vital para o ser humano. E está associada não somente a pequenas e grandes mudanças de atitude em relação ao meio ambiente, mas também mudanças de atitude perante a nossa própria vida, nossos valores, nossos semelhantes, nossas futuras gerações.

Preservar o meio ambiente é amar o nosso próximo, é respeitar a vida, a natureza do planeta, é reconhecer os nossos limites de sustentação, e revermos nossos próprios valores e atitudes em todos os aspectos de nossas vidas, inclusive o espiritual. Nossa harmonia interior depende de como exercemos nossa relação com o mundo exterior e vice-versa.

A inter-relação entre a questão ambiental e a questão espiritual é inquestionável, e já originou a disciplina Eco-espiritualidade, muito difundida pelo nosso ilustre Leonardo Boff. Repensarmos nossa postura com relação ao nosso meio ambiente, é investirmos em nosso aprimoramento não somente material, mas também moral, intelectual, espiritual.

A boa conduta deve expandir-se a todas as nossas dimensões humanas e a todos os aspectos de nossa vida, em nosso lar, nosso ambiente de trabalho, nossa cidade, nosso Planeta. Qualidade de vida, bem-estar, sustentabilidade e a garantia destes valores às gerações futuras devem compor nossos valores e conduta.

Sim, também é preciso vencermos o egoísmo e o imediatismo, desconsiderando as gerações futuras do porvir – que aliás, podem ser nós mesmos se acreditarmos em reencarnação! Mas nem é bom pensarmos por aí - pois assim não estaremos tendo o desprendimento da doação incondicional, mas novamente por egoísmo: por nós mesmos nas próximas vida. Isso me lembra um dos melhores ditados populares que já ouvi: “se o homem soubesse a vantagem de ser bom, seria bom por egoísmo”.

De uma forma ou de outra, a questão da preservação ambiental, do desenvolvimento sustentável, exige que cada um faça a sua parte, numa atitude de amor pela humanidade, dentro dos princípios éticos, e mesmo, espirituais."
Clara Emilie Boeckmann

Fonte:http://claressencia.blogspot.com/

15 de julho de 2011

O poder das palavras!



"Madre Teresa, na sua imensa sabedoria dizia:não me convidem para uma manifestação contra a guerra, mas para uma manifestação a favor da paz.

Ser de quilate espiritual inigualável, que diante dos exemplos e projetos realizados, tinha ciência da missão enquanto encarnada e como ser espiritual, sabia da força das palavras e o quanto elas têm o poder de modificar a realidade.

Contudo, o que vemos, nas pessoas a nossa volta, nos jornais, na mídia e muitas vezes em nós mesmos é que não temos percepção do poder da palavra, seja ela falada, escrita ou até pensada, utilizando-a de forma imatura e irresponsável.

Se as palavras são mantras, possuem energia própria, certamente, têm o poder de ditar nossa vida, tudo que nos cerca, razão pela qual é necessário que passemos a observar o que proferimos no dia-a-dia.

Esta semana uma pessoa procurou-me queixando-se que nada em sua vida dava certo, que passava por situações difíceis, incompreensão na família, no trabalho e, ainda, seus projetos não se realizavam. A partir de então passou a discorrer sobre o quanto seu chefe e colegas de trabalho a tratavam mal, acerca das responsabilidades em demasia na família, culpando a tudo e a todos.

Pois bem, pode alguém esperar felicidade, amor, realização de metas se constantemente critica todos a sua volta, acreditando que a vida lhe deve algo?

É preciso ter consciência e maturidade de que tudo que lançamos ao Universo através da fala, da escrita, do pensamento, já está se manifestando e moldando nossa vida, seja de forma benéfica ou maléfica.

Se queremos alegria, novidades, bem estar, é preciso comprometimento com nós mesmos.

Porque se preocupar tanto com a vida alheia, fazendo fofocas, criticando, julgando nossos irmãos? E será que não agimos igual aos criticados? Quem somos nós para julgar? Eles, como nós estão em processo de evolução e também falham, então é preciso respeito.

A crítica, a fofoca, o julgamento possuem uma carga energética muito perniciosa que afeta a todos nós. E não adianta dizer vou apenas fazer um comentário sobre determinada pessoa. Não se iluda, querendo pousar de inocente.

É de extrema importância agradecer mais e criticar menos, pois temos o hábito de reclamar por situações banais. Reclamamos porque estamos cansados, com preguiça, com sono, por estar chovendo, por ser quente demais, por ter muito trabalho ...quantas reclamações sem fundamento que apenas nos tornam chatos e sem energia.

O entendimento acerca do poder das palavra é algo profundo, à medida que diariamente, de forma inconsciente, em razão de nossos hábitos nefastos, criamos uma realidade da qual não apreciamos e nem nos damos conta.

Então, vamos pensar mais em nossa evolução, pois quem se preocupa muito com a vida alheia é preguiçoso e acomodado com a própria existência. Precisamos parar de fugir de nós mesmos, encarando nossas inferioridades com respeito e consciência, a fim de que possam ser curadas.

Evitemos falar em tragédias, desastres, acidentes e fazer o que precisa ser feito. Nessas situações, o adequado é enviar oração, doação, luz aos necessitados, mas não aumentar a dor com mais energia negativa, criada por nossas palavras e pensamentos.

Ademais, para realizar projetos é preciso foco constante e ainda estar sintonizado com a energia da meta, ou seja, estar vibrando no mesmo padrão do desejo, o que não é possível se na maior parte do dia estamos proferindo mantras ao contrário.

Igualmente pernicioso é o pensamento negativo, que é dissociado da Fonte, da energia criadora do Universo. Podemos dizer que os pensamentos são palavras pensadas e podem contaminar os ambientes, as pessoas, o Todo.

É impossível manter nossa vibração elevada julgando, criticando, reclamando. É impossível termos uma vida feliz e equilibrada sem estarmos com a vibração elevada. É impossível amar de forma incondicional se não respeitarmos a nós mesmos e a nossos irmãos.

Portanto, é exigido vigiar constantemente os pensamentos, emoções e palavras lançadas ao Universo, sem culpa, mas com responsabilidade e maturidade.

Vamos nos comprometer a vigiar o que pensamos e falamos a partir de agora. Ao proferir pensamentos negativos contra nós mesmos, pessoas, situações, vamos substituí-los por um pensamento positivo e após nos perdoar. Se verbalizarmos, imediatamente comentemos sobre algo que gostamos ou vejamos as qualidades das pessoas e fatos a nossa volta.

Agindo desta forma, em poucos dias ou semanas visualizaremos mudanças benéficas em nossa vida e na saúde do Planeta, pois somos Todos Um e nossas práticas afetam o todo."
Autoria: Viviane Draghetti
Fonte:http://www.luzdaserra.com.br/

O Câncer da Alma!


 

“O coração alegre é bom remédio, mas o espírito abatido faz secar os ossos. (Provérbios, 17-22)”
"Recentemente eu pude assistir em um canal de TV pago um documentário com o mesmo nome deste artigo. No documentário eram abordadas as novas descobertas da ciência referindo-se as fantásticas ligações entre o coração e o cérebro, a ciência dos sentimentos.
A mágoa, descrita na Wikipédia como um sentimento de desgosto, pesar, sensação de amargura, tristeza, ressentimento e chamada na holística de “Câncer da Alma”, hoje faz parte de diversos estudos que comprovam que corpo e mente possuem uma estreita ligação, são inseparáveis. A Psicossomática, ramificação da medicina que estuda estas questões chegou à conclusão que se um sentimento não for tratado corretamente em termos psíquicos ele vai causar impacto negativo no corpo físico.
Recentemente uma pesquisa cientifica do Hope College, demonstrou que alimentar sentimentos de raiva provoca pressão alta, aumento da freqüência cardíaca e suor excessivo. Já o perdão colabora em uma condição de saúde mais equilibrada, isso porque a alegria incrementa a produção de endorfina e gera sensação de bem-estar, já os pensamentos negativos estimulam a secreção de hormônios ligados ao estresse, desestabilizando o sistema imunológico, podendo levar ao surgimento de doenças psicossomáticas.
É comum que pessoas ressentidas apresentem quadros de gastrite nervosa, úlcera e câncer. Essas pessoas normalmente têm baixa auto-estima, sempre se posicionam como vítimas e oferecem resistência a solução do problema que causou a mágoa, elas tendem a manter este sentimento vivo mesmo que o ofensor tente corrigir as coisas.
A vida comum traz diversas situações antagônicas. Passamos por momentos de prazer extremo com um convívio social harmonioso a “escorregadas’ que causam problemas com outros indivíduos, é normal. 
Segundo a “Complacência Somática”, Freud afirma que é comum ao ser humano guardar a magoa ou fazer de conta que ela não existe, como os sentimentos não são facilmente esquecidos, essas pessoas acabam magoando-se ainda mais. Estudos psicológicos oficiais efetuados com psicopatas capturados comprovam que em 95% dos casos estes criminosos desenvolveram seus distúrbios a partir de uma situação de magoa ou rancor.
A pessoa ressentida trabalha o congelamento da raiva, o desejo de vingança e a pena de si mesmo, criando uma espécie de manutenção do sentimento por longos períodos, comumente acreditando que isso produzirá na pessoa que a ressentiu algum tipo de sentimento de culpa ou vergonha, uma espécie de tortura por um erro cometido que por si já é uma forma de vingança, geralmente porque tem medo de, ao se livrar da mágoa, possa provocar paz ou prazer no outro, aliviando-o da tristeza.
Essa é uma forma não muito inteligente de vingança, é apenas um raciocínio tolo. Pensamentos como, por exemplo, “Eu quero continuar sofrendo para que o outro sofra” e “eu não merecia isso” garantem a permanência da culpa e a manutenção do ressentimento.
“Guardar ressentimento é como tomar veneno e esperar que a outra pessoa morra. (Shakespare)”
Existem diversas formas de controlar a mágoa, porém somente a capacidade de perdoar pode livrar psicologicamente os ressentidos de seus ofensores, trazendo paz e felicidade. A mágoa escraviza o ressentido ao seu ofensor, já o perdão abre o coração para uma nova vida, sem ter aquela pessoa como centro de suas ações.
“Perdoa, que perdoando terás a tua alma em paz e a terá quem te ofendeu. (Madre Teresa de Calcutá)”
Perdoar não significa esquecer, fingir que não aconteceu. Perdoar é deixar de sofrer, se livrar de uma prisão interior e obviamente aprender com o ocorrido, desenvolvendo defesas próprias para evitar que ocorra novamente. Perdão, sem aprender com a experiência, á alienação.
Portanto, devemos sair da tristeza, nos levantar e viver a vida, por mais difícil e problemática que ela seja para alguns indivíduos, agindo assim, certamente gozaremos de um pouco mais de saúde e alegria, uma vida com mais sentido, todos somos todos especiais, e se precisarmos de ajuda podemos contar com as Terapias Florais e diversas outras Técnicas Holísticas preciosas no auxílio dessas enfermidades da alma.
“A misericórdia é o complemento da mansuetude, pois os que não são misericordiosos também não são mansos e pacíficos. Ela consiste no esquecimento e no perdão das ofensas.
 O ódio e o rancor denotam uma alma sem elevação e sem grandeza. O esquecimento das ofensas é próprio das almas elevadas, que pairam acima do mal que lhes quiseram fazer. Uma está sempre inquieta, é de uma sensibilidade sombria e amargurada. A outra é calma, cheia de mansuetude e caridade. (Allan Kardec)”"


Por Flávio Pedro dos Santos-Terapeuta Holístico 

Linkwithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...