29 de dezembro de 2018

OGUM E NANÃ – ORIXÁS REGENTES DE 2019 – O ANO DA SENTENÇA

"Caminhamos para o final do ano de 2018, ano esse que foi regido por Pai Xangô e Mãe Iansã, e pudemos observar que o ano começou um pouco mais lento, porém a partir da metade do ano o tempo nos pareceu ter dado uma acelerada, fazendo assim com que mal percebêssemos que já está quase se findando e se findando com muitos acontecimentos, bons e ruins.

Após uma breve reflexão, podemos perceber o quanto buscamos estar na presença de Deus, nosso Pai Maior e assim tentar trazer mais evolução a nossa caminhada. Será que conseguimos?

Em 2018 passamos vários momentos agradáveis, porém passamos por muitos dias desoladores. Tivemos muitas lições dadas, algumas que podemos compreender e outras que nem entendemos como lição.

E assim o ano de 2018 está quase de partida.

Sonhamos com um ano melhor, desejamos uma nova era, um caminho novo e mais agradável, desejamos novos ensinamentos para buscarmos novos rumos.

Temos a compreensão de que a cada ano que nasce, nasce em nós novas esperanças, mais elevação a nossa fé, mais crença na humanidade, e assim tentamos com tudo isso sonhar mais alto e ter em nossas mãos a possibilidade nova de buscarmos a tão desejada elevação espiritual.

No ano de 2019 o Orixá regente será Pai Ogum, que regerá intensamente por todo ano, tendo como companhia, a partir do mês de junho, a linda e esplendorosa Mãe Nanã Buruquê.

Resumindo e respondendo a pergunta, mais simplesmente, ao ser perguntado qual Orixá vai reger o ano de 2019, podemos certamente dizer Pai Ogum, que será o Orixá dominante desse ano.

O ano de 2019 será um ano de muitas batalhas, lutas intensas e por ser Pai Ogum um Orixá guerreiro, que tem ligação extrema com a guerra e a paz, simbolizando a vitória e todas as conquistas, teremos um ano muito competitivo e só chegará a seu objetivo aquele que realmente lutar, que buscar seu caminho, que tiver atitude par vencer.

Ogum é um grande guerreiro, senhor soberano da Execução da Lei Espiritual, e assim será o ano de 2019, o ano de executar a lei, o ano de cobrar daqueles que erraram a busca do acerto.

2019 será um ano um tanto conservador, mas devemos nos manter na racionalidade, pois o ano nos trará uma impulsividade extrema e assim sendo, devemos ficar afastados de mazelas desnecessárias, evitar a todo custo confusões ou brigas. A humanidade estará um tanto menos tolerante com tudo e com todos.

O ano de 2019 será bem rápido, assim como o segundo semestre de 2018, teremos dias nos parecendo mais curtos e com boa intensidade de frio.

Com a energização de Pai Ogum no ano que vai entrar, devemos evitar agir antes de pensar, principalmente para os filhos desse Orixá, pois 2019 não será um ano muito tranquilo para esses filhos.

Teremos dias intensos, barreiras e obstáculos que deveremos vencer acima de tudo. Teremos fatos em nossa vida que não teremos como adiar, deveremos encarar seja como for, para assim vencer a maratona que será o ano de 2019.

Para os que tiverem decisões a tomar, tome-as, sem pestanejar, pois é isso que Ogum espera de nós: força e atitude.

Devemos nos manter em linha reta, devemos tentar nos colocar longe e fora da ganância e da cobiça que o mundo materialista nos mostra a todo o momento, nos despertar e nos focar nas coisas que acreditamos ser mais importantes para nossa vida e nossa evolução.

Como sabemos, Ogum é um poderoso Orixá, senhor do ferro e do fogo, defensor da lei e da ordem e em 2019 Pai Ogum dará o segmento ao que Xangô começou em 2018, ou seja, a justiça sendo feita, Xangô julga e Ogum executa a sentença, assim será. Para aqueles que foram julgados por Xangô, serão cobrados agora por Ogum, portanto aquele que buscou a paz em 2018 terá a paz em 2019, porém para aqueles que ignoraram a justiça no ano de Xangô pagarão bem caro agora no ano de Ogum.

Teremos em 2019 muitos avanços na tecnologia, muitas descobertas serão feitas, e isso em todas as áreas, o conhecimento estará em alta, e para aquele que buscar o caminho da informação, dos estudos, será agraciado com as bênçãos de Ogum, podendo crescer tanto pessoalmente, quanto socialmente, e para isso devemos batalhar junto ao Orixá guerreiro, e assim sendo, certamente será vitorioso na busca do bem.

Ogum é um justiceiro nato e ele fará muitas verdades aparecerem, os hipócritas serão desmascarados, tanto no âmbito pessoal, profissional e principalmente político.

O ano de Ogum também é muito propício para aberturas de negócios próprios, para busca de novos caminhos, para realizações de sonhos, porém somente para aquelas pessoas que demonstram plena atitude, pois para aqueles que não demonstrarem, o ano vai ser muito difícil, vai ser como se remar contra a maré.

A grande dica na verdade dada por nossas Entidades de Luz é evitar as discórdias, demonstrar atitude, cuidado nas palavras ditas, evitar a intolerância, pois em 2019 as pessoas estarão em autodefesa, buscando cada uma a sua própria visão sobre os fatos do cotidiano, fazendo assim com que a intolerância cresça, dando abertura a perigosos obsessores, que buscam se energizar com as falhas de caráter de todos, além dos vícios de sentimento, entre esses vícios, o principal para o ano de 2019: o orgulho.

A busca de poder dentro da humanidade poderá trazer grandes batalhas e isso será um grande diferencial desse ano.

Foi recomendado precaução com os gastos desnecessários, pois para aquele que não se preveniu no ano de Xangô, poderá ter um ano de Ogum com alguma dificuldade na área de gastos pessoais.

Foi dito que em 2019 teremos muitos desencarnes por ferro retorcido, ou seja, muitos acidentes automobilísticos, aéreos, ou por qualquer tipo de meio de transporte que tenha a ligação do ferro e do fogo.

O ano de 2019, tendo também a influência da vovozinha Nanã Buruquê no segundo semestre, será um ano de reflexão, de cuidados com os familiares, de busca com o próprio ser.

A partir do meio do ano teremos mais serenidade, mais oportunidade para voltarmos atrás em algo que possamos ter errado, seremos mais tolerantes com todos e para aquele que se dedicar a fazer o bem, certamente receberá o bem de uma forma mais intensa.

Contudo, estaremos menos propícios a conversas que não tem muito fundamento, amizades que não se dedicam intensamente, a vida social mais agitada, teremos uma grande vontade de estar em lugares calmos e tranquilos, porém quando não conseguimos esse feito, ficaremos com o humor abalado, podendo até mesmo ficarmos arredios a tudo e a todos.

Na junção de Ogum com Nanã, iremos da guerra a paz no mesmo instante, e assim devemos ter muito cuidado com o que poderemos falar, agir, ou pensar, pois poderemos perder o foco das coisas, deixar a adrenalina da busca de objetivos baixar e assim perdermos muitas coisas, no qual não teremos condições de fazer retornar para o caminho devido.

Devemos ficar atentos aos fenômenos da Natureza, fenômenos como enchentes, tufões e terremotos de grandes proporções. A Natureza está acuada, e Ogum sendo Orixá guerreiro estará em combate para auxiliar que ela se defenda de tudo e de todos.

2019 será um ano como dito já, de estabelecermos objetivos, e partir para cima desses objetivos, pois só assim conseguiremos terminar o ano de uma forma agradável, a nós, a quem nos cercam, e ao mundo que pertencemos.

Em 2019 devemos evitar as mazelas, as guerras desnecessárias, os vícios que tanto nos fazem mal, a ociosidade, a falta de objetivo, o orgulho, os maus sentimentos, enfim tudo que vai em desacordo com a força de Ogum e a serenidade de Nanã Buruquê.

Que Deus abençoe nossa caminhada nesse novo ano de muitas lutas, e com muita dedicação, teremos muitas conquistas.

Esperamos que todos os amigos entrem com muita fé nas vitórias pessoais nesse próximo ano.

Que Pai Ogum e a doce Mãe Nanã Buruquê nos deem caminhos de luz nessa nova jornada, e que todos os Orixás e todas as Entidades de Luz nos protejam por todo ano de 2019.
Patacori Ogum!
Saluba Nanã Buruquê!
Que assim seja!"


Carlos de Ogum
https://omundodegaya.wordpress.com/2018/12/29/ogum-e-nana-orixas-regentes-de-2019-o-ano-da-sentenca/

19 de outubro de 2018

CONFIE, MANTENHA A FÉ..canalizada por Sharon Taphorn


(ORIENTAÇÃO DOS ANJOS, canalizada por Sharon Taphorn)

Aprender a confiar em seu próprio sistema de orientação é a melhor maneira de manter a fé. Você tem tudo o que precisa para se ajudar nesse labirinto que chamamos de vida, então aprenda a confiar em si mesmo, em seus próprios pensamentos e em seus próprios sentimentos. Ao fazer isso, você confia neste sistema de orientação dentro de você que lhe diz o que é certo e o melhor para você. Isso o ajuda a perceber os sinais.

Você já foi em um passeio de carro com alguém que tem um sistema de GPS programado para uma rota diferente do seu rumo? Ou alguém que queria lhe enviar a uma rota que você sabe que não é mais rápida do que a sua? Estes são sinais de que esses sistemas precisam de mais informações para funcionar adequadamente. Eles precisam de um novo destino definido ou de uma atualização do programa com mapas e sistemas atuais por alguém que saiba o que está fazendo. Isso parece familiar?

Há uma transformação acontecendo em seu mundo e agora, mais do que nunca, você é necessário para resplandecer a sua luz. Encontre essa energia e aprimore suas habilidades como trabalhador da luz. É hora de aprender a confiar em si novamente. Você participou do bom combate para chegar a este espaço em sua evolução. Saiba que a mudança está acontecendo agora. Você descobrirá que suas instituições começam a se encher de novas energias e isso nem sempre é fácil, mas confie que a mudança está acontecendo.

Agora é a hora de entrar em sintonia com as possibilidades infinitas que existem quando você começa a se envolver com elas. Aproveite esta oportunidade para seguir seus sonhos. Permita que a sua intuição e o desejo de um caminho melhor se fundam em algo novo. Seja flexível e aberto. Seus anjos nunca duvidam do poder das possibilidades, nem você deveria!

Aprenda a confiar em seu sistema de orientação, para que você possa escolher conscientemente o caminho certo para você. Isso é muito melhor do que simplesmente se deixar envolver em um, por padrão. Você se torna fiel ao seu próprio coração e não mais se agarra ao que não é certo para você.

Portanto, confie no processo de cocriação e envolva-se mais profundamente na visão de um futuro que inclua suas paixões. A luz do Espírito o ajuda a ver o caminho, e o Universo o está alinhando com tudo o que precisa para que os seus desejos se realizem.

A Orientação dos Anjos diz respeito a aprender a confiar em seu sistema de orientação.

A Confiança é um trabalho interno. Trata-se de aprender a confiar em seus próprios pensamentos, sentimentos e sinais corporais, os quais são projetados por você para ajudá-lo a navegar no plano da Terra. Tranqüilize-se e interiorize-se a qualquer momento em que precisar de orientação, clareza ou compreensão. Todas as ferramentas que você precisa estão aí, dentro de você, apenas esperando por você, para que você descubra o seu verdadeiro poder, sua própria marca especial de magia!

Amor e bênçãos, Sharon e os anjos"

Tradução: Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br

22 de julho de 2018

Cérebro Reptiliano I ...



"Na medicina essa parte do nosso cérebro é conhecida como Complexo-R. Foi pesquisada pelo neurocientista Paul MacLean. Seu livro “The triune brain in evolution”, Ed. Kluwer Print on Dema, custa 1.352,70 reais. Um livro com este preço deve ser sobre um assunto extremamente importante e valioso, não acham? E também estar ao alcance de muitos poucos é claro!

Para uma descrição científica vejam: http://pt.wikipedia.org/wiki/Encéfalo

O cérebro reptiliano é responsável pela auto-preservação e agressão. Essa é sua função principal. Já está visto o quanto ele é responsável pela situação da pessoa na vida, seu dinheiro, sua saúde, seus relacionamentos, etc. O comportamento humano está na função direta do Complexo-R. Ele explica o porquê da tremenda auto-sabotagem que os humanos fazem. Entendida a função do Cérebro Reptiliano entende-se praticamente todo o comportamento humano, todos os problemas que existem nesse planeta e também qual é a solução. 
Não estou falando do cérebro dos crocodilos. O Complexo-R ou Cérebro Reptiliano é o nosso cérebro. A parte mais profunda dele. É da maior importância entender como ele funciona, pois ai a solução dos problemas aparece como passe de mágica. Já perceberam todos os comportamentos repetitivos de auto-sabotagem que os humanos fazem? O Complexo-R é o responsável. Lembram quando falo que é preciso limpar toda a programação negativa ou passar pela catarse? É nele que está toda essa programação.

Quando é associado com o cérebro límbico e a amígdala é imbatível na manipulação.
No livro “Inteligência Emocional” de Daniel Goleman está uma descrição extensa do que é um seqüestro emocional.

Todos os desejos instintivos e reações de luta/fuga provem dele. Vejamos suas características:

Todas as reações de agressividade com todas a gama de violência implícita, decorre dele. É por isso que é tão fácil criar uma guerra. Toda vez que a pessoa age sem pensar, na verdade está pensando apenas com o cérebro reptiliano. Vejam a diferença de velocidade na resposta à informação entre a amígdala e o neocortex.

Toda a sociedade está repleta de comportamentos ritualísticos. É essencialmente uma função do Complexo-R. É lógico que esses rituais implicam numa hierarquia. Em todos os setores de atividade existe a hierarquia. Toda cerimônia está baseada nisso. Isso permite a dominação, a manipulação e a exploração. Evidentemente que numa hierarquia a informação é segmentada para que apenas quem esteja no topo tenha toda a informação. Embaixo cada um sabe apenas uma pequena parte. Quando eu trabalhei em processamento de dados numa empresa pequena tinha acesso a todos os sistemas e todos os programas de cada sistema. Toda a informação passava por mim. Depois fui trabalhar numa gigantesca multinacional e ai só tinha acesso a uma pequena parte de uma parte de uma parte de um sistema. Cada analista só tinha acesso a uma diminuta parte do sistema. Ninguém conseguia entender o que fazia o sistema. Somente o gerente sabia o que aquilo significava. Se você entender até onde a informação pode ser segmentada entenderá o quão poucas pessoas entendem realmente a realidade.

Como informação é poder fica evidente que a informação não pode ser codificada de forma simples e inteligível. Ela tem de ter múltiplos significados. Desta forma pode-se falar qualquer coisa e somente poucos entenderão o alcance do que se está a falar. O cérebro reptiliano é perfeito para isso. Pois ele trabalha com símbolos. Símbolos são extremamente eficientes para passar uma informação e muito econômicos. Veja um outdoor numa estrada dizendo que dali a 29 quilômetros encontrará uma determinada lanchonete. Basta colocar o logotipo e a distância. Todo o resto da informação sobre a lanchonete está implícito no logotipo. O mesmo se aplica com a ideia de poder. Pode-se simbolizar o poder para que quem o veja saiba com o que está lidando.

Essa questão do comportamento perante o poder (o cérebro reptiliano está programado para submeter-se ao poder) é muito clara quando se vivencia isso. Uma vez um gerente de processamento de dados estava conversando comigo e tomando um café. Segurava nas mãos o copinho de café quando ouviu o diretor gritar o seu nome. O gerente ficou paralisado e não sabia o que fazer com o copo de café. Se pudesse teria deixado o copo no ar e corrido para a sala do diretor. Levou uns segundos para poder se concentrar e colocar o copo numa mesa e sair correndo para a sala do diretor. Outros podem sistematicamente ser contra o chefe, mesmo que isso seja ilógico.

A insensibilidade é outra característica do cérebro reptiliano. Pode-se ver isso nos tratamentos cruéis em relação aos animais, crianças, mulheres e pessoas mais fracas em geral. Vejam nosso DVD sobre mutilação genital feminina para ter uma ideia. Outra forma é a racionalização. Outro dia estava almoçando e ouvi uma conversa sobre uma série de televisão. Uma pessoa disse que o comportamento assassino de um líder era para defender a comunidade! É assim que se justificam milhões de mortes numa guerra, por exemplo.

O cérebro reptiliano adora controlar tudo que for possível. Nenhuma variável pode ser deixada de lado. Somente o controle absoluto interessa e é perseguido a todo custo. Isso é uma coisa compulsiva e infinita. Não passa pela cabeça dele que exista algo como Teoria do Caos, que impede o controle absoluto. Da mesma forma o Principio da Incerteza é um pesadelo para o Complexo-R. Ele abomina a indeterminação e as probabilidades da Mecânica Quântica. Daí vocês já podem ter ideia de onde vem toda a resistência em entender a Mecânica Quântica. Qualquer informação que coloque em cheque a visão dominante é abolida imediatamente. Sem nenhuma análise. Se uma pessoa afirma que a Terra gira em volta do Sol é queimada na fogueira!

Para se ter poder absoluto é preciso controlar tudo. Uma coisa implica na outra. Desta forma qualquer visão de mundo que permita divergência de opinião deve ser abolida. Somente uma única visão de mundo pode existir. Daí temos as perseguições políticas, as guerras, a Inquisição, a queima de livros, da Biblioteca de Alexandria, da Biblioteca de Atenas, os genocídios, etc. Na busca de um único controle e poder absoluto.

Uma coisa puxa a outra. Para se ter poder absoluto é preciso possuir tudo. Partes não são suficientes. Somente tudo satisfará. E esse tudo é uma coisa complicada porque o Universo é grande... Daí vem a insatisfação com qualquer quantia de dinheiro que se ganhe, com as quantidades de comida além do necessário que se come, com as compras compulsivas (lembram daquela senhora que tinha 800 pares de sapatos?), etc.. Nunca é suficiente. E a posse tem de ser sobre tudo e todos. Nada pode ficar fora do alcance.

Para se possuir tudo é preciso controlar o território. E cada um marca o território como pode. Alguns com bombas atômicas e outros fazendo xixi no poste!

O sentido de domínio dá uma enorme satisfação para o cérebro reptiliano. Lembram que Nietsche disse que somente tem dois tipos de pessoas felizes neste mundo? Os que tem o cérebro reptiliano totalmente no controle.
Toda compulsão vem da necessidade de controlar, possuir, dominar tudo e todos. Essa necessidade nunca é satisfeita, porque o medo de não ter o suficiente é inato ao cérebro reptiliano. Portanto, nunca é suficiente.

Os comportamentos obsessivos são a mesma coisa. O medo é inerente ao cérebro reptiliano. Ele teme o tempo todo. Procura a segurança absoluta o tempo todo. Imagine um alarme de carro que nunca se desliga, nem quando você está dirigindo o carro!. 

É lógico que se todos procuram o domínio total a todo custo teremos conflitos eternos. É justamente isso que acontece. Enquanto um determinado cérebro reptiliano não consegue o controle absoluto, ele se submete à outro. É uma forma de segurança também. Enquanto ele não arruma um jeito de derrubar o que está acima dele. É por isso que o superior é sempre cruel e impiedoso. Sabe que se vacilar o inferior toma seu lugar. Desta forma temos as hierarquias, que funcionam tão bem. Isso permite enfrentar outras hierarquias concorrentes. Já viram no Animal Planet um grupo de crocodilos comendo um boi? Muito instrutivo! Essa necessidade de submeter-se para garantir a segurança permite as guerras e todas as atrocidades, que são feitas “apenas cumprindo ordens”.

Para o cérebro reptiliano tudo é uma questão de sobrevivência do mais forte, mais apto, mais adaptável. Soa familiar? Isso justifica toda a barbaridade das guerras.
Da submissão à adoração temos apenas um passo. É uma forma mais eficiente de controlar criando uma adoração do que tendo de insuflar medo o tempo todo. É mais econômico. Aqui entra também a manutenção do status quo.

É claro que para criar uma estrutura assim só pode haver um tipo de comportamento. A rigidez, sem nada alternativo ou maleável. Sem pensar, sem questionar, sem analisar, etc.. Toda superstição é perfeita para isso. Se não se analisar é possível implantar qualquer crença ou superstição da maneira mais perfeita possível. Lembram que foi dito que uma mentira repetida o número adequado de vezes tomará ares de verdade? Mais fácil que tirar doce das criancinhas ou roubar o passe do metrô da velhinha!

Depois de um certo tempo, fica mais fácil ainda porque sempre foi feito daquela forma! É a tradição! Lembram da história dos chimpanzés que espancavam outro chimpanzé simplesmente porque sempre foi assim que foi feito? E se um chimpanzé questionar isso também será espancado.

Aqui também entra a visão de que este-mundo-é-tudo-que-existe. Esta visão de mundo dá um sentido de segurança muito agradável para o cérebro reptiliano. Só existe o que percebo com os meus sentidos. É por isso que posso usar celulares e não pensar em ondas. Qualquer mudança no status quo é visto como ameaça e deve ser eliminada ou ignorada. É por isso que a ciência avança funeral após funeral, como disse um físico.

O sistema de promoção por idade também é do cérebro reptiliano. Não importa a eficiência e sim a idade. 
O sistema de leis também é seguido fielmente por ele. Por mais absurdas que sejam as leis elas são seguidas. Não segui-las tem conseqüências para os que estão abaixo do Macho Alfa. O cérebro reptiliano sabe identificar isso prontamente.
Qualquer tipo de crença pode ser implantada se for suficientemente repetida. A história está repleta desses exemplos o tempo todo. Ela funciona em função de todas as características explicada acima. Da mesma forma qualquer cultura pode ser implantada facilmente. Basta ter os meios de divulgar o que quer que seja.

Sentir compaixão pela dor alheia é um sinal de evolução. Isso seria uma função do neocórtex. O cérebro reptiliano é o inverso. Para ele tudo é comida.
Cérebro reptiliano e entropia psíquica têm tudo a ver. A entropia psíquica acontece quando não controlamos nossa mente e a deixamos “vagar”. Imediatamente aparecem os pensamentos negativos. Isso porque a energia tem de ser controlada senão decai, isto é, perde energia e organização. Para que haja crescimento tem de haver um foco mental organizador. Temos de controlar nossa mente para não ter pensamentos negativos. Já sabem que tudo que pensamentos e sentimos nós atraímos. Acontece que se nós controlarmos nossa mente (isso é uma função do neocórtex) o cérebro reptiliano perde o controle. Já viram que ele tem pânico de perder o controle, portanto, ele fará de tudo para retomá-lo, isto é, para que você volte a ter pensamentos negativos. Soa familiar?

O sentimento dominante do cérebro reptiliano é o medo. Medo de tudo e de todos. Isso vai até o medo extremo de pensar que o mundo pode não ser como se pensa que é. Esse é um pânico existencial. Imagine o stress que isso causa. Para o cérebro reptiliano o continuum espaço/tempo não existe. Só existe o agora. Portanto, qualquer trauma trazido à memória provoca a mesma reação da primeira vez. Isso é uma valiosa ferramenta de manipulação! E vocês sabem que todas as funções orgânicas automáticas são controladas pelo cérebro reptiliano. Não precisamos pensar para respirar, digerir a comida, etc. Pense no poder que o cérebro reptiliano tem para moldar suas emoções, seus sentimentos e seus comportamentos. É assim que a pessoa bate o carro para estragar o aparelho que toca o cd!

Outra característica é que ele é um servo mecanismo, isto é, não aprende com os próprios erros. Isso é função do neocórtex. Portanto, os mesmos erros serão cometidos vezes sem conta. A auto-sabotagem acontece uma vez após outra. Sempre na mesma situação, seja um cargo, um salário, uma situação de melhoria na vida, etc.. É por isso que a programação do cérebro reptiliano é feita na infância com total eficiência. Tudo que a criança experienciar será gravado a ferro e fogo. Esse comportamento será repetido pela vida a fora. A não ser que seja apagado.

Toda a questão sexual está controlada pelo cérebro reptiliano, portanto, tudo diz respeito a sexo tem uma importância transcendental na nossa sociedade. Porque é pelo sexo que se programa facilmente o cérebro reptiliano. Toda lavagem cerebral feita com traumas sexuais é extremamente eficaz. Vejam os casos tidos como Transtorno de Múltiplas Personalidades. E quanto mais cedo o trauma for impingido maior a eficiência.

Em vista do explicado acima o que fazer?
Queremos ser livres ou não? Queremos ser felizes ou não? Queremos evolução ou não? É simples escapar de tudo isso acima. A simples mudança de consciência. A Consciência cria a realidade. Mudou a Consciência mudou a realidade. Nenhum ato físico é preciso. Só mudar a consciência. A visão de mundo. É uma mudança puramente interna. A mudança da consciência para um novo paradigma. Basta trocar a visão de mundo. Expandir a consciência do que é a realidade. É possível diminuir e anular o controle do cérebro reptiliano. Ele pode ser transmutado totalmente. É possível ficar livre do cérebro reptiliano. Quando a pessoa atingiu o nível de Consciência de união com o Todo, ela está livre do cérebro reptiliano.

Isso é o que a Ressonância Harmônica permite fazer. Esse é o objetivo final."



Hélio Couto

Direitos Autorais:
Copyright © Hélio Couto. Todos os direitos reservados.
Você pode copiar e redistribuir este material contanto que não o altere de nenhuma forma, que o conteúdo permaneça completo e inclua esta nota de direito e o link: www.heliocouto.com

9 de julho de 2018

O corpo é um espelho das nossas crenças... por Louise Hay


"Embora muitas pessoas me vejam como alguém com o poder de curar os outros, eu não curo ninguém.
Meu trabalho é ajudar as pessoas a compreenderem como seus pensamentos criam, constantemente, suas próprias experiências de vida - todas elas, tanto as boas quanto as que chamamos de más experiências.

Você já se viu indo para o trabalho remoendo ressentimentos em relação a um colega ou alimentando sua insegurança por causa de uma tarefa que lhe foi solicitada?
É um exemplo simples, mas que ajuda a entender o que afirmo. Se, em vez de pensar negativamente, você procurasse pensar nas razões que poderiam ter levado o companheiro de escritório à atitude agressiva, e imaginasse formas afetuosas de resolver o conflito, seu encontro com ele poderia gerar uma aproximação feliz para ambos.

Se, em vez de inventariar suas próprias falhas, você tomasse consciência de sua capacidade e repetisse para si que poderia realizar a tarefa solicitada com sucesso - pedindo ajuda se precisasse, provavelmente você a desempenharia com outro ânimo e competência.
Nossos pensamentos podem, da mesma forma, estar contribuindo para o bem-estar ou para o mal-estar de nossos corpos.
Não queremos ficar doentes e, no entanto, precisamos de cada doença que contraímos.

É a maneira que nossos corpos encontram para nos dizerem que estamos com uma idéia errada, com uma percepção falsa, e que precisamos mudar nossa forma de pensar.
Tenho uma amiga que precisou passar por uma pneumonia grave para concluir que era indispensável mudar seu ritmo de vida e fazer uma terapia que a ajudasse a rever seus relacionamentos.
Há pessoas que usam a doença como forma de não assumir compromissos, mantendo-se permanentemente numa situação fragilizada.

Cada doença é uma lição que precisamos aprender.
Por favor, não fique só reclamando: "quero me livrar desta doença."
Isso não vai trazer a cura que você deseja e você não vai aprender a lição de que necessita.
Não se coloque também numa atitude defensiva, como se a doença fosse uma espécie de acusação. Não se trata de condenar nem de sentir nenhuma culpa.

Tanto na doença quanto em qualquer situação de vida, o importante é observar o que está acontecendo conosco para entender o que precisa ser libertado e transformado.
Então eu lhe digo: é hora de se curar, de tornar sua vida e seu corpo íntegros, que significa que você deseja investir na sua saúde.
Eu sei que você tem, dentro de si, tudo de que precisa para conseguir isso.

Quando você começar a compreender o processo que leva à saúde ou à doença, será capaz de assumir o controle consciente das mudanças que deseja fazer.
É um processo muito emocionante que vai se tornar uma das aventuras mais felizes da sua vida.
Acredito que existe um centro de sabedoria dentro de cada um de nós e que, quando estamos prontos para fazer mudanças positivas, atraímos o que é necessário para nos ajudar.

Pode ter certeza de que alguma coisa dentro de você se transformou e o processo de cura já começou.
Pare um instante a leitura e diga em voz alta: Eu já comecei o meu processo de cura.
O corpo é um espelho das nossas crenças e dos nossos pensamentos mais íntimos.
O corpo está sempre conversando conosco. É preciso aprender a escutar o que ele tem a dizer.

Cada célula reage a cada pensamento seu, a cada palavra que você pronuncia.
Por isso, se prolongamos durante muito tempo determinadas formas de pensar e de falar, elas irão produzir comportamentos e posturas corporais, assim como um maior ou menor bem-estar.
Suas palavras e pensamentos contribuem para sua saúde ou sua doença.

Uma pessoa que está sempre com o rosto fechado provavelmente não tem muitos pensamentos alegres e amorosos. Os rostos e corpos dos mais velhos mostram claramente como foi sua vida e seus comportamentos.
Pare um pouco e pense: que aparência eu vou ter quando entrar na terceira idade?

Como acredito que todos nós nascemos com o direito de ser completamente saudáveis e satisfeitos em todas as áreas de nossas vidas, quero ajudar você a conquistar esse direito agora.
Algumas das coisas que vou sugerir talvez pareçam simples demais, mas fique sabendo que estas idéias foram testadas muitas vezes com enorme sucesso.

Elas funcionam de verdade.
Antes de continuar a ler este texto, repare no seu corpo.
Coloque-se numa posição confortável, respire fundo e procure relaxar.
Abra-se para acolher todas as idéias, aceitando apenas as que se aplicam ou fazem sentido para você.

Acredito que toda doença é uma criação própria.
É claro que não dizemos quero ter tal doença, mas criamos um Ambiente mental que faz com que a doença apareça e se desenvolva.
Volto a repetir: nossos diálogos interiores provocam reações em cada célula do corpo.
Ouvi um médico dizer recentemente: "Se um cirurgião operar um paciente sem fazer coisa alguma para ajudar a descobrir e curar a causa da doença, ele estará apenas adiando o problema, pois o paciente criará um outro mal-estar."

Não basta tratar o sintoma. Precisamos eliminar a causa da doença.
E para isso precisamos penetrar no lugar, dentro de nós mesmos, onde o processo teve início.
Somos profundamente responsáveis por quase todas as experiências por que passamos em nossas vidas.
Tanto as melhores quanto as piores.
Porque, como já disse, somos nós que criamos nossas experiências através dos pensamentos que temos e das palavras que pronunciamos.

O universo apóia completamente nosso diálogo interior.
Nosso subconsciente aceita como verdade aquilo em que escolhemos acreditar.
Isto significa que o que acredito ser verdade a meu próprio respeito e a respeito da vida se tornará verdade para mim.
Essa é uma escolha que você faz.

É claro que os pensamentos vêm à cabeça sem nosso controle, mas, ao reconhecê-los, você pode alimentá-los ou procurar desapegar-se deles, tentando olhar a realidade de outra perspectiva.
Temos também o impulso de pronunciar certas palavras, mas somos capazes de silenciá-las ou substituí-las por outras mais amorosas, impregnadas de compreensão e tolerância.

O que pensamos e sentimos a respeito de nós mesmos e de nossa vida formou-se desde criança, pelas reações e comportamentos dos adultos que nos rodeavam.
Assim, se você viveu com pessoas assustadas ou com pessoas extremamente infelizes, aprendeu uma porção de coisas negativas a seu próprio respeito e a respeito da vida.
E é possível que ainda acredite nelas.

Não estou dizendo isso para que culpemos nossos pais. Eles provavelmente foram vítimas de seus próprios pais e não podiam nos ensinar o que não sabiam.
Se sua mãe não gostava dela mesma e se seu pai não sabia ser carinhoso e atento, eles não teriam condições de ensinar você a se amar e a se tratar com carinho e atenção.
Por mais bem intencionados que fossem.

Acredito que escolhemos nossos pais. Cada um de nós decide encarnar neste planeta em épocas e locais específicos. Fazemos assim porque estamos neste mundo para aprender as lições que nos farão avançar em nosso caminho espiritual.
Para isso, escolhemos nosso sexo, nossa cor, nosso país e as pessoas que nos farão ter as experiências de que precisamos para evoluir.
Muitas vezes, quando crescemos, acusamos nossos pais e nos queixamos: "foi você quem fez isto comigo, a culpa é sua".

Mas, na verdade, nós os escolhemos, porque era com eles que podíamos viver aquilo que queríamos aprender a superar.
Passamos a vida criando experiências que combinem com as crenças adquiridas na infância.
lhe para trás e observe quantas vezes você passou pelo mesmo tipo de relacionamento e pela mesma qualidade de problema.

É bem possível que você tenha criado essas experiências repetidamente porque elas refletem o que você pensa a seu respeito.
Mas não adianta ficar remoendo os problemas do passado, porque é o momento presente que importa.

O que aconteceu no passado, até este momento, foi criado por você, com seus próprios pensamentos e antigas crenças, sem que você se desse conta.
Mas o que você escolhe pensar, acreditar e dizer hoje, neste exato lugar, neste exato momento, está criando o seu futuro.
Seu diálogo interior de agora está criando o seu amanhã, a semana que vem, o próximo mês e o ano que vem.
Então, preste atenção no que você está pensando neste instante. Você quer que este pensamento crie o seu futuro?
Ele é negativo ou é positivo? Observe, preste atenção.

Não existe certo ou errado no que pensamos, e volto a dizer que não quero nunca explorar o sentimento de culpa. Pelo contrário, quero eliminá-lo, porque ele paralisa e não faz crescer.
Estou querendo apenas que você entre em contato com o que está pensando, porque, em geral nós tomamos muito pouca consciência do que se passa em nossas mentes e em nossos corpos.
Só prestamos atenção quando ficamos doentes ou quando sentimos dor.
E, se não sabemos o que está se passando dentro de nós, como poderemos mudar?"

Louise Hay

7 de julho de 2018

O que é uma emoção negativa? por Eckhart Tolle



"Uma emoção que é tóxica ao corpo e que interfere com o seu equilíbrio e o funcionamento harmonioso. Medo, ansiedade, raiva, rancor, tristeza, ódio ou intensa antipatia, ciúme, inveja – são emoções que interrompem o fluxo de energia através do corpo, afetam o coração, o sistema imunológico, a digestão, a produção dos hormônios e assim por diante.

Até mesmo a medicina tradicional, embora ela saiba ainda muito pouco sobre como o ego opera, está começando a reconhecer a ligação entre os estados emocionais negativos e a doença física.

Uma emoção que faz mal ao corpo também infecta as pessoas com quem você entra em contato e, indiretamente, através de um processo de reação em cadeia, inúmeros outros que você nunca encontra. Há um termo genérico para todas as emoções negativas: infelicidade.

Será que as emoções positivas têm, então, o efeito oposto no corpo físico? Será que elas fortalecem o sistema imunológico, revigoram e curam o corpo? Ela o fazem, na verdade, mas precisamos diferenciar entre as emoções positivas que são geradas pelo ego e as emoções mais profundas que emanam do seu estado natural de conexão com o Ser.

As emoções positivas geradas pelo ego já contêm em si mesmas o seu oposto em que elas podem rapidamente se transformar. Aqui estão alguns exemplos: O que o ego chama de amor é a possessividade e o apego, que pode se transformar em ódio em questão de segundos.

A expectativa sobre um evento futuro, que é a supervalorização do ego sobre o futuro, transforma-se facilmente em seu oposto – decepção ou desânimo – quando o evento termina ou não preenche as expectativas do ego. Louvor e reconhecimento o fazem se sentir vivo e feliz um dia; ser criticado ou ignorado o tornam deprimido e infeliz no seguinte. O prazer de uma grande festa se transforma em frieza e ressaca na manhã seguinte.

Emoções geradas pelo ego são derivadas da identificação da mente com fatores externos que são, é claro, instáveis e sujeitos a alterações a qualquer momento. As emoções mais profundas não são realmente emoções, sob qualquer condição, mas estados do Ser. 
As Emoções existem no reino dos opostos. Os Estados do Ser podem ser obscurecidos, mas eles não têm oposto. 

Eles emanam de dentro de você como o amor, a alegria e a paz, que são aspectos de sua verdadeira natureza."


Eckhart Tolle

10 de junho de 2018

Solte o medo de experimentar a magia -- por Morag


"Solte o medo. Parece fácil, mas é absurdamente difícil de fazer. O medo se espalha ao redor dos nossos chakras, nossos órgãos, nossa aura, como uma cebola. Isso amortece as vibrações dos nossos corações batendo. Congela nossos sistemas. Paralisa emocionalmente e dificulta a nossa evolução energética. Nós evoluímos assim que liberamos o medo do nosso ser. As condições da matrix trazem temor em nós. Medo da morte, deus, anjos e demônios, doença, perda, guerra e pobreza.

Rejeição e retribuição, escândalo e feitiçaria. Os arquitetos da matrix sabem que devem manter-nos em campos de baixa vibração se a sua fraude/Falsidade funcionar. Quando elevamos nossa vibração, as máscaras escorregam, a Escuridão se rompe, a Luz inunda nosso ser. Nós perdemos nosso avatar da matrix. Nós transformamos o interior para o exterior. Os upgrades/aprimoramentos entram em cena. Entramos online com comprimentos de onda mais altos de frequências emocionais.
O medo é pesado, denso, com baixos comprimentos de onda. Abaixa a vibração dos nossos sistemas em um nível celular. O medo é usado para manter o campo vibratório das pessoas baixo, preso na terceira dimensão por mais tempo do que deveríamos estar.

Filmes de terror voltados para adolescentes não são apenas bobagens para crianças tolas. Eles são ferramentas de programação. Medo do desconhecido, monstros, demônios e assim por diante. A religião organizada funciona de maneira semelhante. Recebemos regras, parâmetros de comportamento e pensamento, com consequências terríveis se os quebrarmos.

Nossas mentes se fixam em imagens. Somos vulneráveis ​​a jogos mentais, estratégias que nos programam sem o nosso conhecimento. Estar na frequência do medo é estar dentro de nossas mentes. É estar o mais longe possível do momento presente.

O estresse e a ansiedade compõem o medo, prendem-no em nossos chakras, nossos batimentos cardíacos, nossa mente. Nós esquecemos como soltar e confiar no Universo. Nós paramos de nos comunicar com seres ascendidos que podem nos oferecer proteção e orientação. Nós nos atamos com a culpa, vergonha, miséria e depressão, negligenciando a saúde da nossa mente.

Há ressonância sensorial, algoritmos para o medo, que podem ser desencadeados. Para quebrar esse condicionamento sináptico, reciclaremos nosso cérebro, aumentamos nossa consciência dos sintomas e sinais do medo. Nós reconhecemos isso, nós reconhecemos e deixamos passar. O medo é um desperdício de energia.

Podemos ser cautelosos, espertos e cuidadosos sem medo. Nós cultivamos a quietude para que possamos ouvir nossa energia. Aprendemos a confiar em nossos sentimentos além do que nos é dito ou visto. Nós paramos o medo quando ele vem. Nós expiramos a ansiedade. Nós liberamos tudo o que podemos diante de temores, provações e terrores.

Nós nos tornamos energeticamente sábios. Nós nos protegemos diariamente com mantras, cristais, rituais e meditação. Nós nos sintonizamos com o nosso Eu Superior para guiança com auto-cuidado e amor próprio. Ao liberar o medo camada por camada, nós iluminamos nossos seres energéticos. Criamos espaço para frequências amorosas. Nós escavamos as raízes e plantamos sementes de Amor em seu lugar.

O carma ancestral tem que ser retirado, ele contém um medo denso em suas energias. Padrões de comportamento negativo que afligem as linhagens de família violadas, finalmente. A Escuridão, fermentada por séculos de bloqueio cármico em um planeta-prisão, causou profunda crueldade, negligência e decadência.

Libertar-se da expectativa limitando a expressão criativa, nem sempre é uma opção fisicamente. Podemos nos afastar energeticamente, emocionalmente. Nós podemos cultivar o autoconhecimento.

Nossas famílias, colegas e vizinhos podem ser as peças mais ruidosas da matrix. Muitas vezes são eles que nos julgam e criticam por sermos quem realmente somos. Abafe cuidadosamente os amigos. Procure independência. Seja sábio.

Remova camadas ancestrais em terapia de conversa, exercícios, criatividade e meditação. Procure afirmar sua soberania com calma. Reconheça as limitações das pessoas. Diminua as suas expectativas, isso protege do desapontamento e da vulnerabilidade. Tenha compaixão. Respire.

Quando as camadas se soltam, chegamos ao nosso verdadeiro eu. Sendo corpo-mente-espírito. Nossa saúde física, mental e espiritual. Nós limpamos os bloqueios, liberamos e soltamos o medo de cada chakra. Nosso fluxo energético aumenta, nossa consciência se expande.
o chacra Raiz até a Coroa liberamos o medo, mudando conscientemente o que e com quem interagimos, e como processamos o nosso ambiente. Nós centramos nosso núcleo. Abrimos nossa mente para a garantia de um multiverso quântico. Nós nos concentramos em estabelecer um fluxo forte e fácil de energia em todo o nosso sistema.

Aqueles presos na roda de hamster humano da matrix da Terra, foram pouco transformados. Este Despertar é sobre libertar essas almas de uma prisão que elas não sabem que estão. Realinhando um planeta e seu povo na Luz da quinta dimensão. O equilíbrio, a força do núcleo, a agilidade, a mente aberta e o coração expansivo vêm da redefinição da frequência celular para o Amor.

Tudo isso está ocorrendo no plano material.
Nós acordamos para a manipulação, mentiras e fraudes/falsidades.

Em quem podemos confiar? Nós confiamos no Universo. Nós confiamos na Fonte. Nós confiamos em nosso Eu Superior. Nós confiamos em nossos Anjos. Nós confiamos em nosso instinto/intuição. Nós confiamos na energia. A Gratidão, a Compaixão e a criatividade fundamentam nossos seres em realidades dimensionais mais elevadas.

Magia é alta frequência. Magia é encontrada na natureza, na criatividade, na vibração do Amor. Procure a magia, reconheça o medo e liberte-o. Ilumine a habilidade dos seus surfistas cósmicos.

Há mágica em todos os lugares, em nossos corações, nossas vidas, nosso mundo. Aumente suas frequências e abrace os milagres, mistérios e misticismo deste incrível tempo. Passe tempo com Gratidão. Passeie com a solidão. Relaxe na meditação zen. Reflita e descanse.

A energia irá para onde a intenção flui.
Abram seus corações, Surfistas Cósmicos, para amar frequências.
Namastê"

Formatação - DE CORAÇÃO A CORAÇÃO 
Tradução - Vilma Capuano - vilmacapuano@yahoo.com.br

4 de maio de 2018

Eternamente no meu coração.. GRATIDÃO GASPARETTO...


"Não lute mais
Descanse
Não dê força para seus inimigos
Vença-os com o perdão
Não cultive a impaciência
Vença a com a segurança
Não delapide a paz dos outros
Coopere com o silêncio
Não se afaste do seu coração
Una-se a si mesmo
Não dê trelas aos problemas
Vença-os com a luz interior
Não coopere com as críticas
Supere-as com seu desprezo
Não se deixe vitimar
Assuma sua liberdade de escolha
O bem é saber
que o único meio de vencer
É usar a inteligência
com compaixão
Por isso não lute mais
Descanse"

Luiz Gasparetto

2 de maio de 2018

Diferença entre força e coragem .. por Leticia Thompson


"É preciso ter força para ser firme,
mas é preciso coragem para ser gentil.

É preciso ter força para se defender,
mas é preciso coragem para baixar a guarda.

É preciso ter força para ganhar uma guerra,
mas é preciso coragem para se render.

É preciso ter força para estar certo,
mas é preciso coragem para ter dúvida.

É preciso ter força para manter-se em forma,
mas é preciso coragem para ficar de pé.

É preciso ter força para sentir a dor de um amigo,
mas é preciso coragem para sentir as próprias dores.

É preciso ter força para esconder os próprios males,
mas é preciso coragem para demonstrá-los.

É preciso ter força para suportar o abuso,
mas é preciso coragem para faze-lo parar.

É preciso ter força para ficar sozinho,
mas é preciso coragem para pedir apoio.

É preciso ter força para amar,
mas é preciso coragem para ser amado.

É preciso ter força para sobreviver,
mas é preciso coragem para viver.

Se você sente que lhe faltam a força e a coragem,
queira Deus que o mundo possa abraçá-lo hoje
com Calor e Amor !

E que o vento possa levar-lhe uma voz que lhe diz
que há um Amigo, vivendo num outro lado do Mundo,
desejando que você esteja bem."

Por: Letícia Thompson

16 de abril de 2018

Sensibilidades Empáticas - SABEDORIA DOS ANJOS canalizada por Sharon Taphorn


"Você já se percebeu assimilando demasiadamente a energia dos outros, ultimamente? Talvez você nem esteja ciente disto, mas você percebeu que as pessoas estão reagindo ou se sentindo diferente de você? Houve um pouco de mudança acontecendo e alguns dos empatas estiveram absorvendo e ficando presos na energia e no drama dos outros, como se fossem seus. Eles estão literalmente absorvendo as personalidades dos outros em alguns casos, ou apenas o aspecto mental de tudo, ou até mesmo apenas o aspecto emocional das coisas. Não importa realmente em qual categoria você se encontra, se você for um empata, o que importa é que se torne consciente disto agora. Não se abata quando perceber que isto está acontecendo. Use-o como uma ferramenta para ajudá-lo a se tornar mais consciente do que está acontecendo.

Em vez de se perguntar o que fez de errado, ou o que mudou, verifique primeiro consigo mesmo. Não faça suposições do que é, apenas analise. Pergunte-se se os seus pensamentos e sentimentos são seus ou de outra pessoa. Limpe-se regularmente, especialmente quando estiver perto de outras pessoas. E não se esqueça de trazer o seu campo de energia (apenas o chame, ele sabe). Você apenas precisa estar lá fora quando estiver nos arbustos e precisar ficar alerta aos leões, tigres e ursos!

Pensamento para hoje: Respire profundamente, e, então, limpe o campo de energia ao seu redor. Traga a sua energia para perto do seu corpo e a deixe-a aí. Então, pergunte-se se os pensamentos e sentimentos que você está tendo são seus ou de outra pessoa. Se for, é de outra pessoa, se ficar, é algo com que lidar.

E assim é.

Você é muito amado e apoiado sempre"


Os Anjos e Guias canalizada por Sharon Taphorn, 15 de Abril de 2018

15 de abril de 2018

Vilão, vítima... por Eckhart Tolle


“ Quando não conseguem obter elogios ou admiração, alguns egos têm de se contentar com outras formas de atenção e desempenhar papéis que criem essa atenção. Se não conseguirem uma atenção positiva, podem procurar, em alternativa, uma atenção negativa, por exemplo, provocando uma reação negativa noutra pessoa. Algumas crianças também já o fazem. Portam-se mal para obter atenção.

O desempenho de papéis negativos torna-se particularmente acentuado sempre que o ego é aumentado por um corpo de dor ativo, isto é, por uma dor emocional do passado que pretende renovar-se através de mais dor. Alguns egos cometem crimes quando andam em busca da fama. Procuram a atenção através da notoriedade e da condenação por parte das outras pessoas. Parecem dizer: «Por favor, digam-me que eu existo, que não sou insignificante.» Estas formas patológicas do ego são apenas versões mais extremas dos egos normais.

Um papel muito comum é o da vítima, e a forma de atenção pretendida pelo ego é a compaixão, a pena ou o interesse dos outros pelos meus problemas, por «mim e pela minha história». Vermo-nos como vítimas é um elemento que faz parte de muitos padrões egóicos, como queixarmo-nos, sentirmo-nos ofendidos, magoados e assim por diante.

É claro que, se eu me identificar com uma história na qual atribuí a mim mesmo o papel de vítima, não quero que esta história acabe e, por isso, como todos os terapeutas sabem, o ego não deseja um fim para os seus «problemas», pois fazem parte da sua identidade. Se ninguém estiver interessado em ouvir a minha triste história, posso repeti-la vezes sem conta na minha cabeça e sentir pena de mim mesmo, adquirindo deste modo uma identidade de alguém que é injustamente tratado pela vida ou pelos outros, pelo destino ou por Deus. Isto ajuda-me a definir a minha auto-imagem, transforma-se em alguém, e é apenas isso que interessa ao ego.”

Eckhart Tolle

15 de março de 2018

LUZ por Alexandra Solnado


"Nós não podemos ver só o que queremos. Não podemos viver na ilusão.

Nós temos de ver a realidade. Ver o que é.

Por isso é que eu gosto das pessoas que, quando oram, pedem:

«Dai-me luz. Ilumina-me para que eu possa ver o que é, sem hesitações."

"Dai-me luz
A mesma luz onde moram os anjos,

A mesma luz que ilumina os caminhos,

A luz que transforma os homens

E os torna pessoas especiais.

Dai-me luz
A mesma luz que me retira a estranheza

E que me devolve a minha própria natureza.

A mesma luz que clareia os meus passos

E que me devolve um sentido de vida, de direção.

A mesma luz que no fundo do túnel

Abre um campo aberto de possibilidades,

Um universo de oportunidades.

A mesma luz, da cor da paz, da cor de um povo

Que vive no céu

E que faz a minha vida na terra

Ter mais significado."

Quando estiveres triste, pensa que te falta luz. Diz esta oração com o peito aberto, para que a luz possa entrar e modificar a tua vida."


Jesus
O LIVRO DA LUZ – Pergunte, O Céu Responde
de Alexandra Solnado

23 de janeiro de 2018

5 feridas emocionais da infância que persistem quando somos adultos...


"É bastante comum, infelizmente, que a nossa saúde emocional esteja danificada desde a infância. Frequentemente, não somos conscientes do que é o que nos bloqueia, o que nos dá vertigem ou o que nos provoca temor.
Em grande parte desses casos, a origem está em situações que vivemos de crianças, essas feridas que nos ocasionaram nossas primeiras experiências com o mundo e que não pudemos curar.
Feridas emocionais são experiências dolorosas da infância que conformam nossa personalidade adulta, o que somos e como vamos nos confrontar com as adversidades.

Devemos ser conscientes delas e, portanto, evitar disfarçá-las, pois, quanto mais tempo esperamos para curá-las, mais profundas elas vão se tornar. O medo a reviver o sofrimento que nos causaram faz com que evitemos essas situações, mas isso só vai dificultar o nosso desenvolvimento e nos prejudicará.

Traição, humilhação, desconfiança, abandono, injustiça… São algumas das feridas que Lisa Bourbeau nos assinala no seu livro “As cinco feridas que impedem de ser nós mesmos”. Vejamos a seguir como podemos identificá-las:

1. O medo ao abandono
O desamparo é o pior inimigo de quem viveu o abandono em sua infância. Imaginem-se quão doloroso tem que ser para uma criança sentir o medo de estar sozinho, isolado e desprotegido diante de um mundo que não conhece.
Como consequência, quando a criança desamparada for adulta, tentará prevenir o fato de voltar a sofrer o abandono. Portanto, quem já passou por isso, vai tender a abandonar tanto os seus companheiros, como os seus projetos de forma precoce. Isso responde, única e exclusivamente, ao temor que lhe ocasiona reviver aquele sofrimento.
É muito comum que estas pessoas falem ou pensem desta forma: “Deixo você antes que você me deixe”, “ninguém me apoia, não estou disposto a suportar isso”, “se for embora, não volte…”.
Essas pessoas vão ter que trabalhar seu medo à solidão, seu temor a serem abandonadas e a sua rejeição ao contato físico (abraços, beijos, contatos sexuais…). Essa ferida não é fácil de curar, mas um bom começo para cicatrizá-la é confrontar o temor a ficar a sós até que flua um diálogo interior positivo e esperançoso.

2. O medo à rejeição
Essa ferida nos impede de aceitar os nossos sentimentos, nossos pensamentos e nossas vivências.
Sua aparição na infância é ocasionada pela rejeição dos progenitores, da família ou dos seus pares. A dor que é gerada por essa ferida impede uma construção adequada da autoestima e do amor próprio da pessoa que o sofre.
Gera pensamentos de rejeição, de não ser desejado e de desqualificação com nós mesmos.
Essa criança rejeitada não se sente merecedora de afeto nem de compreensão e o que lhe faz se isolar por temor a voltar a experimentar esse sofrimento.É provável que o adulto que foi uma criança rejeitada seja uma pessoa arredia. Por essa razão, devem ser tratados os medos internos que geram situações de pânico.Se esse for seu caso, ocupe o seu lugar, arrisque e tome decisões por si mesmo. Cada vez, vai lhe incomodar menos que a pessoa se afaste e não vai tomar como uma questão pessoal que se esqueceram de você em algum momento. Você é a única pessoa que você precisa para viver.

3. A humilhação
Essa ferida é gerada quando sentimos que os outros nos desaprovam e nos criticam. Podemos criar esses problemas nas nossas crianças, dizendo a elas que são desajeitadas, más ou chatas, e também mostrando os seus problemas frente aos demais (uma coisa que é, tristemente, muito comum). Isso, sem dúvida, destrói a autoestima infantil e, portanto, dificulta a possibilidade de cultivar um amor próprio saudável.O tipo de personalidade gerada, com frequência, é uma personalidade dependente. Além disso, podemos ter aprendido a ser “tiranos” e egoístas como um mecanismo de defesa, e inclusive a humilhar a outros como escudo protetor.
Ter sofrido esse tipo de experiências requer um trabalho pela nossa independência, nossa liberdade, a compreensão das nossas necessidades e temores, assim como as nossas prioridades.

4. A traição ou o medo a confiar
Essa ferida se abre quando pessoas próximas à criança não cumprem suas promessas, fazendo que ela se sinta traída e enganada. Como consequência, se gera uma desconfiança que pode ser transformada em inveja e em outros sentimentos negativos, por não se sentir merecedora do prometido e do que os demais têm.
Sofrer esses problemas na infância constrói personalidades controladoras e perfeccionistas. São pessoas que querem ter tudo pronto e arrumado, sem deixar nada ao azar.
Se você já sofreu esses problemas na infância, é provável que sinta a necessidade de exercer certo controle sobre outros. Isso se justifica, frequentemente, pela presença de um caráter forte; entretanto, digamos que obedeça a um mecanismo de defesa, um escudo de proteção diante do desengano.
Essas pessoas costumam confirmar seus enganos por sua forma de atuar, justificando seus prejuízos. É necessário trabalhar a paciência, a tolerância e o saber viver, assim como aprender a estar sozinhos e a delegar responsabilidades.

5. A injustiça
O sentimento de injustiça nasce nos lares nos quais os cuidadores principais são frios e autoritários. Uma exigência excessiva gera sentimentos de ineficácia e de inutilidade, tanto na infância como na idade adulta.
Albert Einstein sintetizou esta ideia muito bem na sua frase, mais do que famosa “Todos somos gênios. Mas se julgarmos um peixe por sua habilidade de subir em uma árvore, viveremos a vida toda acreditando que ele é estúpido”.
Como consequência, quem experimenta essa dor, pode chegar a ser uma pessoa rígida que não admite meias nuances em nenhuma ordem da sua vida. Costumam ser pessoas que tentam ser muito importantes e alcançar um grande poder.
É provável que seja criado um fanatismo pela ordem, pelo perfeccionismo ou, inclusive, pelo caos. A questão é que são pessoas que radicalizam suas ideias e, por isso, têm dificuldades para tomar decisões com segurança.
Para fazer frente a esses problemas, é preciso trabalhar a suspicácia e a rigidez mental, com objetivo de gerar uma maior flexibilidade e permitir a confiança nos outros.

Agora que já conhecemos as cinco feridas da alma que podem afetar nosso bem-estar, a nossa saúde e a nossa capacidade para nos desenvolver como pessoas, podemos começar a curá-las.
O primeiro passo, como tudo na vida, é aceitar que as feridas estão em nós, nos dar permissão para nos zangar e, sobretudo, nos dar tempo para superá-las."

Fonte da ideia: Bourbeau, L. (2003) As cinco feridas que impedem de ser nós mesmos. OB Stare.
Fonte: https://melhorcomsaude.com/5-feridas-emocionais-da-infancia-que-persistem-quando-somos-adultos/

Linkwithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...