28 de dezembro de 2011

Receita de Ano Novo de Carlos Drummond de Andrade!




"Para você ganhar belíssimo Ano Novo 
cor do arco-íris, ou da cor da sua paz, 
Ano Novo sem comparação com todo o tempo já vivido 
(mal vivido talvez ou sem sentido) 
para você ganhar um ano 
não apenas pintado de novo, remendado às carreiras, 
mas novo nas sementinhas do vir-a-ser; 
novo 
até no coração das coisas menos percebidas 
(a começar pelo seu interior) 
novo, espontâneo, que de tão perfeito nem se nota, 
mas com ele se come, se passeia, 
se ama, se compreende, se trabalha, 
você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita, 
não precisa expedir nem receber mensagens 
(planta recebe mensagens? 
passa telegramas?) 

Não precisa 
fazer lista de boas intenções 
para arquivá-las na gaveta. 
Não precisa chorar arrependido 
pelas besteiras consumidas 
nem parvamente acreditar 
que por decreto de esperança 
a partir de janeiro as coisas mudem 
e seja tudo claridade, recompensa, 
justiça entre os homens e as nações, 
liberdade com cheiro e gosto de pão matinal, 
direitos respeitados, começando 
pelo direito augusto de viver. 

Para ganhar um Ano Novo 
que mereça este nome, 
você, meu caro, tem de merecê-lo, 
tem de fazê-lo novo, eu sei que não é fácil, 
mas tente, experimente, consciente. 
É dentro de você que o Ano Novo 
cochila e espera desde sempre."

Carlos Drummond de Andrade.
Texto extraído do "Jornal do Brasil", Dezembro/1997.

25 de dezembro de 2011

A Pratica do Despertar! A mãe de todas as práticas!


"Se queres chegar à Iluminação, atenta para o que vamos te ensinar.
Estuda e reflete, porém, acima de tudo, pratica o que segue.
O DESPERTAR é considerado a mãe de todas as práticas para os que buscam a iluminação.

Essa prática maravilhosa tem sido ensinada há séculos dentro do budismo tibetano e outras linhagens, bem como em alguns lugares do Oriente, de forma geral. Através dela centenas de milhares de homens e mulheres atingiram a iluminação ao longo de séculos.

Esta prática certamente foi uma das principais causas que transformaram o Tibet no centro espiritual do mundo durante centenas de anos.

Seres iluminados, budhas de perfeição como Tilopa, Naropa, Marpa, Milarepa, Padmasambava e muitos outros sempre a praticaram e a transmitiram por gerações e gerações.

Os praticantes do DESPERTAR a chamam de “O Caminho do Raio” ou o “Caminho Direto”, pois é tão poderosa que pode levar à iluminação numa só existência.
Certamente é impossível transmitir em palavras a profunidade e amplitude das práticas que conduzem ao DESPERTAR.

Raros são os seres que são capazes de ensiná-las com maestria e, certamente, nós não fazemos parte desse seleto rol de seres especiais. Entretanto, podemos pelo menos delinear e ensinar os primeiros passos que podem levar os alunos à descoberta íntima e pessoal desse maravilhoso caminho.

Conceituar a PRÁTICA DO DESPERTAR é limitar sua extensão. Ele é muito mais do que isso. É um sistema de trabalho cujo objetivo é desvelar a natureza espiritual oculta além da mente humana.

Mais ainda. O DESPERTAR não só desvela a natureza espiritual que todo homem traz consigo desde sua origem primordial e imaculada, mas também ensina como é possível estabilizar e permanecer imerso dentro desta natureza, gerando o estado de mente desperta que culmina na iluminação e posterior liberação completa.

O cerne dessa prática é a meditação contemplativa e a realização do Vazio.

Ao longo de anos de efetiva prática, o estado contemplativo, tantas e tantas vezes exercitado, conduz o estudante segura e vagarosamente para aquilo que há além da mente ordinária - sua natureza espiritual.

A natureza espiritual da mente é a mais perfeita e pura luz, liberta e sem limites de qualquer espécie. A mente natural, individual, e a mente Cósmica são expressões do mesmo princípio, separados apenas pela ilusão da dualidade que reside no tempo e na forma, ambas projeções ilusórias da mente ordinária.

Os pensamentos condicionados, a tagarelice mental, as fantasias, os devaneios, as crenças, as ilusões, as esperanças vãs, os desejos mórbidos e os defeitos humanos são originados e somente têm existência na mente ordinária, também conhecida como mente animal.

A Prática do Despertar nos ensina a reconhecer e a separar o que é impuro do que é puro, o que é ilusão da realidade, desobstruindo a luz ilimitada e, junto com ela, as virtudes mais sagradas e perfeitas que até então não podiam expressar-se.

A meditação para o Despertar tem a capacidade de não só ampliar a percepção, mas também aprofundar a atenção, tornando-a tão apurada e perfeita que nenhum pensamento inconsciente sai ou entra na mente sem que sua origem ou finalidade seja desconhecida.

Por isso a meditação para o Despertar nos dá a visão clara, concisa e aguda da natureza de todos os fenômenos psíquicos, naturais ou físicos.

Em outras palavras, esta visão aguda da natureza de todas as coisas permite-nos aprofundar a compreensão da origem e desenvolvimento de tudo que passa dentro e fora da mente, inclusive de nossas debilidades humanas e do desdobramento positivo ou negativo de nossas ações.

A PRÁTICA: 

A prática da meditação é realizada de olhos abertos ou semi-cerrados.

O despertar e a iluminação se caracterizam por uma profunda conscientização da vida que flui dentro e ao redor de nós.

Os olhos abertos ou semi-cerrados, além de dificultar o devaneio e a fuga do mundo que nos cerca (comuns a muitas técnicas), mantém a mente altamente alerta e atenta, de forma que este estado deve permancer não só durante a prática em si, mas também durante todos os atos do dia-a-dia.

Ora, uma mente iluminada não somente o é nos momentos de meditação passiva, dentro de um quarto ou templo. A mente iluminada caracteriza-se exatamente pela permanência desse estado também durante o ir e vir dos ventos kármicos que constantemente movem nosso destino e durante as atividades diárias e corriqueiras.

O DESPERTAR treina e mente e fortalece a consciência para que esse estado de imersão dentro da pureza imaculada da Mente Natural se estabeleça e permaneça ininterruptamente.

Pode-se usar a postura de lótos, semi-lótos ou a postura sentada em uma cadeira. O essencial é manter a coluna reta e a cabeça firmemente pousada sobre os ombros.

A mente e o corpo, ainda que profundamente relaxados, devem se manter alerta e despertos. Não deve haver tensão de espécie alguma, resistência, atrito ou ansiedade tanto no corpo quanto na mente e a entrega deve ser total.

O erro mais comum nessa prática específica, é permitir que a sonolência turve a claridade da mente. Quando isso ocorre cria-se um estado mental de torpor e semi-consciência, dando-nos a falsa idéia de que estamos meditando, quando na verdade a mente se presta para todos os tipos de devaneios, recordações, projeções e fantasias.

Volto a repetir, esse é o estado mais comum de devaneio e muitíssimas pessoas têm sido enganadas pela sutileza da mente, crendo estar realizando progresso quando isso de fato não ocorre.
Eis porque há tanta dificuldade em aprofundar os estados de consciência, captar e compreender a fundo nossas debilidades humanas e suas intrincadas e ocultas facetas psicológicas.

Certamente, durante a meditação surgirão inúmeras espécies de imagens, lembranças e preocupações. A mente ordinária é como um macaco louco enfurecido que pula de galho em galho. Porém, devemos sempre lembrar que além desse tormento há um oceano de paz e tranquilidade.

Por isso salientamos a importância de se treinar a mente para que ela se torne limpa e translúcida, que não se fixe e tampouco reaja perante o que vê, ouve e sente.

Ao iniciarmos a prática, o estado de relaxamento buscado deve ser tão puro e perfeito que apenas repousamos a atenção no ato de respirar, sem forçar ou imprimir qualquer ritmo respiratório que não seja o natural.

Repousamos a atenção absoluta e total no puro ato de inalar e exalar. Sentimos como o ar entra e sai através de nossas narinas, causando uma leve sensação na parte superior dos lábios.

Mais importante ainda é colocar extrema atenção na pequeníssma e natural pausa que há após a exalação e antes da inalação.
Esta extrema atenção também deve repousar sobre a mesma pausa que há depois da inalação e antes a exalação.

Por quê?

Porque esse momento é mágico.

Essa pausa é a abertura que poderá lhe revelar o estado perfeito e imaculado da mente – o estado de Rigpa, como dizem os tibetanos.

A meditação para o DESPERTAR aprofundada lhe revelará que esse mesmo instante mágico existe sempre entre dois pensamentos, por mais fulgazes que possam ser.

Durante a prática, o estudante perceberá que lentamente seus pensamentos diminuirão e tenderão a desaparecer. Desta forma verá com mais clareza que entre um e outro pensamento há um Vazio, onde a mente ordinária se cala e abre-se uma brecha para que a natureza imaculada da mente (Rigpa) aos poucos se revele.

O estado desperto da mente é uma consequência do estabelecimento e da continuidade desse Vazio, onde o estado de Rigpa então é desvelado completamente, trazendo à tona toda a perfeição inata e primordial de sua natureza.

Fazer consciência dessa pausa e mergulhar nesta abertura é o mesmo que perfurar um pequeno orifício num gigantesco dique que repreza um Oceano ilimitado. Ao perfurar este orifício passa a jorrar através dele uma pequena, porém inesgotável, fonte de luz.

Com o tempo faremos mais e mais orifícios, só que cada vez com mais frequência e maiores, até o dia em que toda essa muralha será derrubada.

Quando isso ocorrer seremos tragados por esse Oceano e nos tornaremos um só com Sua natureza."
___________________________

Fonte- rishisproject
Mensagem enviada por Lenita Andrade

23 de dezembro de 2011

2012 enfim!



Gosto muito da musica "então é natal" cantada pela Simone,tem a ver com a sua voz que me aquieta, que me acalma porque tem a vibração intimista da voz que vem do coração...Mas quero falar deste ano que termina encerrando mais um ciclo, enquanto um novo recomeça e a vida continua! Para nós, humanos, são importantes estas significâncias simbólicas,pena que depois da meia noite, o sofredor continue sofrendo, o explorador explorando, o mendigo mendigando, mas desta vez, tem uma energia diferente acontecendo ás vesperas deste novo ano que chega.. 2012! 


Existe uma pressa, uma urgência, uma sede que se alastra indomável pelo planeta exigindo liberdade, justiça, respeito pelas formas de vida.. participação e ética!! no mundo árabe e em todo mundo ditaduras caem derrubadas pela força do coração e da vontade irredutivel dos povos que as custas do próprio sangue e sacrificio avançam mudando destinos e antigas certezas!A ciencia paradoxalmente aproxima-se cada vez mais dos misticos e das suas percepções alteradas de consciencia, a metodologia cartesiana foi ultrapassada pela fisica quantica, a fragmentação entre corpo e alma, esta sendo recomposta pelo holismo, somos tudo e todos um.. existe ordem no caos.. paradigmas!!! 

Pois é, 2012 está chegando existem inumeras previsões, indagações, projeções. Sabemos todos que a inconsciencia,o egoismo, consumismo, a ambição, o desrespeito e o desamor conduziram os destinos do mundo a isto que está aí! Mais um ano termina..... o novo está esperando para nascer, cheio de esperança, de vontade, de desejos, de euforia, de força, de fé, semente germinando cheia de vida,amor, alegria e nova consciencia despertando!

Feliz Natal!Feliz Novo Ano, que seja um feliz despertar da nova consciencia para toda a humanidade! 2012 enfim!


Mariangela !

19 de dezembro de 2011

Mude e o Mundo Muda em Volta de Você: A Dimensão da Felicidade!




"Ao longo da história humana, a busca por uma vida plena sempre foi motivo de reflexões, e no passado a Filosofia descrevia a conquista da felicidade como resultado das nossas posturas éticas, das nossas práticas na vida. O mundo seria tão bom quanto nossas ações! Hoje, parece que estamos perdendo essa dimensão ética e cada vez mais os fins justificam os meios.

Quando priorizamos apenas o que nos traz mais vantagens imediatas – mesmo que não seja bom, adequado, justo, aceitável, etc. – abrimos espaço para a insatisfação. Pois ao mesmo tempo que conseguimos separar racionalmente o que deve ser feito do que pode ser feito, não conseguimos fazer isso afetivamente. É assim que perdemos o equilíbrio interno.

Cada vez que violamos nossos princípios, crenças e sonhos em troca de satisfação imediata, entramos em conflito afetivo. Isso pode nem ser percebido conscientemente mas age dentro de nós gerando ansiedade, medo, dúvida, ressentimento, culpa e preocupação, nos levando a uma constante insatisfação com nós mesmos e a vida que levamos…. É um ciclo vicioso.

Por mais alto que nossos desejos e necessidades gritem, não podemos satisfazê-los sem levar em consideração as suas consequências sobre nós mesmos e os outros. Como os filósofos da antiguidade nos ensinaram, o mundo é um reflexo daqueles que o habitam. E a nossa felicidade tem a dimensão e a qualidade do que fazemos no mundo que ajudamos a construir."

Angelita Viana Corrêa Scardua 
Escrito originalmente para o Caderno Espaço Vida/Unimed-RS. Publicado em 06/01/2010- Fonte:http://angelitascardua.wordpress.com

O milagre da atenção!



"Viver num estado de plena atenção é uma das coisas mais desafiadoras da vida. Mas, sem isto, é impossível iniciar o processo denominado autoconhecimento.
Como podemos conhecer a nós mesmos se não estivermos atentos ao que se passa em nosso interior? O problema é que durante toda a nossa vida, fomos ensinados a viver permanentemente atentos ao que acontece no mundo exterior. 

Prestamos atenção em todos os fenômenos ao nosso redor e, principalmente, no comportamento alheio, já que, regra geral, ele costuma direcionar a maioria de nossas atitudes.

Aprender a observar a si mesmo, não apenas no sentido psicológico, mas também o que se passa com o corpo físico, é o primeiro passo para que se possa começar a viver de modo consciente.

Os atos mecânicos que acabamos realizando na maior parte do tempo retiram de nós a chance de nos tornarmos plenamente vivos, alertas e capazes de reagir a cada situação, de acordo com nossa própria natureza.

Quanto maior for a capacidade de observar sentimentos, emoções e reações instintivas que acontecem o tempo todo em nós, mais fundo adentraremos em nossa verdadeira essência. E, aos poucos, a ansiedade, a angústia e o medo, serão substituídos por uma nova realidade, onde o silêncio, a paz e a serenidade definirão nosso modo de viver.

"...Encontrar o observador em sua pureza é a maior conquista na espiritualidade, pois o observador em você é a sua própria alma, a sua imortalidade. Mas nunca, por um único momento, pense "Eu o peguei", pois esse é o momento em que você erra o alvo. 

Observar é um processo eterno; você sempre vai se aprofundando, mas nunca chega ao fim, no qual possa dizer: "Eu o peguei". Na verdade, quanto mais fundo você for, mais fica consciente de que entrou num processo eterno, sem nenhum começo e nenhum fim.

Mas as pessoas estão observando somente os outros; elas nunca se importam em observar a si mesmas. Todo mundo está observando - este é o observar mais superficial - o que o outro está fazendo, o que o outro está vestindo, como ele aparenta.

...Todo mundo está observando; o observar não é algo novo a ser introduzido em sua vida. Ele apenas precisa ser aprofundado, tirar dos outros e direcionar aos seus próprios sentimentos interiores, pensamentos, estados de ânimo e, finalmente, ao próprio observador.

...Use essa energia da observação para uma transformação de seu ser. Isso pode trazer para você tanta bem-aventurança e tanta bênção que você nem mesmo pode sonhar a respeito. Um processo simples, mas uma vez que você comece a usá-lo em você mesmo, ele se torna uma meditação.

Pode-se fazer meditações a partir de qualquer coisa. Qualquer coisa que o leva a você mesmo é meditação. E é imensamente significativo encontrar sua própria meditação, pois nesse próprio encontrar você encontrará imensa alegria. E porque é o seu próprio encontrar, e não algum ritual imposto sobre você, você adorará entrar fundo nela. 
Quanto mais fundo você entrar nela, mais feliz você se sentirá - tranqüilo, mais silencioso, mais integrado, mais majestoso, mais gracioso.
Todos vocês conhecem o observar, então, não se trata de aprendê-lo; é apenas uma questão de mudar o objeto de observação; faça isso.

Observe o seu corpo e você ficará surpreso. Posso mover minha mão sem consciência e posso movê-la com consciência. Você não perceberá a diferença, mas eu posso sentir a diferença. Quando a movo com consciência, há uma graça e uma beleza nela, uma serenidade e um silêncio. Você pode caminhar estando atento a cada passo; isso lhe dará todo o benefício que o caminhar pode lhe dar como exercício, mais o benefício de uma meditação simples fantástica.

...Você não deveria deixar passar inconscientemente nem mesmo um único momento. A observação afiará a sua consciência. Essa é a religião essencial, e tudo o mais é apenas conversa. 

...se você puder fazer somente a observação, nada mais é necessário. 
Meu esforço aqui é fazer a religião tão simples quanto possível. Todas as religiões fizeram justamente o oposto: elas fizeram as coisas muito complexas, tão complexas que as pessoas nem ao menos tentaram"OSHO - The Golden Future



18 de dezembro de 2011

O engano [e limites] da Tolerância zero! uma reflexão oportuna...


 "Depois de se despedir do grupo que viera de longe conhecer o melhor da gastronomia paulistana, Lúcia correu para o circular que a deixaria há três quadras de sua casa. Quase não conseguiu entrar de tão cheio. Embora gostasse do seu ofício, no final de um dia de trabalho guiando turistas, já se encontrava cansada demais para achar graça do puxão de cabelo. Olhou para trás e não resistiu ao sorriso da criança no colo da mãe.

A senhora segurava uma sacola em um dos ombros, enquanto o bebê se debruçava sobre o outro, tentando alcançar o que pudesse. Claro que a mãe se desequilibrava ainda mais. Lúcia olhou feio para o rapaz sentado a sua frente. “Como pode? Ainda finge que não está vendo a pobre da mulher”.
Este era o tipo de coisa que ela não tolerava. Esbravejou:

- O cavalheiro pode ceder seu lugar para a mãe com a criança no colo?

O moço até tentou um sorriso amarelo, enquanto se esforçava para erguer o corpo. Sentou-se de novo.

Lúcia já abria a boca para soltar sua indignação, quando foi interrompida pela senhora idosa do banco detrás.

- Desculpe, moça, mas estamos vindo do hospital. Meu neto passou por uma cirurgia difícil. Na hora que recebe alta, não conta com um parente para deixar a gente em casa, nem temos dinheiro para o táxi.

Sem nos esquecermos que o tema se estende a questões sociais mais amplas, e considerando que Lúcia teve razão ao indignar-se com a situação, podemos aproveitar seu constrangimento para pensar nosso limite de tolerância.

Quantas vezes enrijecemos nosso ponto de vista antes de conhecer os motivos do outro. Se esperamos que o filho chegue tal hora e ele se atrasa, não penso no que poderia levá-lo a se atrasar, mas no mal que a sua demora me causou. Se chego antes do meu funcionário, o que vejo é minha mesa de chefe desarrumada e não o porquê de seu atraso. O limite de tolerância estaria, assim, associado àquilo que suporto em termos de frustração. 

O sentido de tolerância normalmente vem associado à capacidade de perdoar, de ser complacente, indulgente; enfim, de exercitar a bondade. Fica a idéia de que o outro errou, quando deixou de fazer aquilo que se esperava dele. É querer que o outro veja aquilo que estou vendo. De alguma forma, é sentir-se dono da verdade.

Pensar o limite de tolerância não significa jogar fora convicções, nem encontrar sempre uma desculpa para os deslizes alheios. É agir, sim, frente ao que consideramos injusto, mas tentando olhar o fato com a maior isenção possível, e não tomados pela emoção que ele nos provoca, embora seja essa mesma emoção o que nos mobiliza a agir. É uma linha tênue que precisamos perceber, para não cometermos injustiça maior, tentando ser justos. É um esforço para enxergar além do que vemos."

Por Angelina Garcia

16 de dezembro de 2011

Vamos sair do casulo e .... voar!



"Quando a borboleta encontra-se no casulo, ainda como uma lagarta, ela não tem consciência das possibilidades, oportunidades e beleza do mundo aqui fora. Também não tem percepção da sua grandiosidade, beleza e divindade.



Conosco, ocorre da mesma forma, pois viemos do astral conscientes de nosso propósito espiritual, conscientes de nossa missão de alma, querendo fazer o que for preciso para cumprir nosso propósito.

Porém, ao chegar na Terra, que é o planeta escola, onde passamos por aprendizados e desafios diários, esquecemos do que foi anteriormente escolhido. Nos colocamos em um casulo invisível de medos, incertezas, dúvidas, depreciação de nosso Eu, crenças equivocadas, preconceitos e ficamos estagnados, ou seja, na zona de conforto, mesmo que ela não seja a melhor opção para nossa vida. Não persistimos nos objetivos e projetos por medo de nós, da felicidade, da crítica, da mudança.

Ficamos como uma lagarta, no casulo, construímos prisões internas, sem consciência das nossas possibilidades, da grandeza de nossa alma, do nosso poder. Porque o corpo físico, é importante, pois é a morada de nossa alma, mas somos muito mais que isso, por isso precisamos enxergar com os olhos da alma, pois a realidade é muito mais do que vemos com os olhos físicos.

Por permitirmos, somos influenciados pelas pessoas, pelos ambientes e esquecemos que somos seres espirituais e não somente o corpo físico. Não recordamos que somos divinos e podemos ser, ter ou fazer o que quisermos, desde que estejamos no caminho da missão de nossa alma.

Nós não estamos aqui só para passear ou para ir levando a vida, mas para evoluir, para melhorar a cada dia, para sermos mais felizes.

E seremos mais felizes quando soubermos quem somos, ou seja, quando entendermos nossa missão pessoal e coletiva, quando melhorarmos o relacionamento conosco e com os outros, através do autoconhecimento.

Para sairmos do casulo, em primeiro lugar precisamos transformar/elevar nossa consciência e para isso devemos buscar autoconhecimento para percebermos que somos donos de nosso destino, responsáveis pela nossa vida e somente nós a podemos modificar, uma vez que a possibilidade é um estado interno.

E, como salienta o Arcanjo Gabriel, em uma mensagem, o pior abismo dos homens é colocar a sua felicidade nas mãos de outros, porque as mãos das outras pessoas são incertas e nas nossas, conhecemos os limites e possibilidades.

Quando nos espiritualizarmos, modificaremos a consciência, veremos a vida com outros olhos e tudo se transforma. E existem várias formas de buscar espiritualidade, autoconhecimento, autocura, através de religião, de meditação, de cursos, de palestras, de livros, terapias, pois nunca tivemos tanto conhecimento a nossa disposição, mas não podemos ter preguiça e comodismo e deixar de buscar.

Deixemos o comodismo e o medo de lado, não vamos perder tempo, deixar de aproveitar esta encarnação que é um presente divino e vamos nos conectar com nosso Eu Superior, optar pela paz, amor e felicidade.

Vamos cumprir nosso propósito, sair do casulo e voar. Vamos querer ser borboletas e deixar nossa luz interna brilhar."

Viviane Draghetti- Terapeuta Holística

15 de dezembro de 2011

O Deus de Baruch Spinoza por Baruch Spinoza! !


"Se Deus tivesse falado teria dito:

“Para de ficar rezando e de bater no peito! O que eu quero é que saias pelo mundo e desfrutes de tua vida. Eu quero que gozes, cantes, te divirtas e que desfrutes de tudo o que Eu fiz para ti.
 
Para de ir a certos templos lúgubres, obscuros e frios que tu mesmo construíste e que acreditas serem a minha casa. Minha casa está nas montanhas, nos bosques, nos rios, nos lagos, nas praias e no coração das pessoas. Ali é onde eu, de fato, vivo e ali expresso meu amor por ti. 
Para de me culpar da tua vida miserável: eu nunca te disse que há algo mau em ti ou que eras um pecador, ou que tua sexualidade fosse algo mau.
 O sexo é um presente que eu te dei e com o qual podes expressar teu amor, teu êxtase, tua alegria. Assim, não me culpes por tudo o que te fizeram crer. 

Para de ficar lendo supostas escrituras sagradas que nada têm a ver comigo. Se não podes me ler num amanhecer, numa paisagem, no olhar de amigos, nos olhos de teu filhinho.

 Sim, me encontrarás em um bom livro, uma poesia, uma obra de arte e, quem sabe, em um mendigo. Confia em mim e deixa de me pedir. Tu me dirás como fazer meu trabalho? 
Para de ter tanto medo de mim. Eu não te julgo, nem te critico, nem me irrito, nem te incomodo, nem te castigo. Eu sou puro amor. 
Para de me pedir perdão. Não há nada a perdoar.
 Se Eu te fiz, eu te enchi de paixões, de limitações, de prazeres, de sentimentos, de necessidades, de incoerências, de livre-arbítrio. Como posso te culpar se respondes a algo que eu pus em ti? Como posso te castigar por ser como és, se eu sou quem te fez? Crês que eu poderia criar um lugar para queimar todos meus filhos, pelo resto da eternidade, porque não se comportaram bem? Que tipo de Deus poderia fazer isso? 

Esquece qualquer mandamento, qualquer tipo de lei; essas são artimanhas a fim de manipular-te, para te controlar - que só geram culpa em ti. Respeita teu próximo e não faças o que não queres para ti. A única coisa que te peço é que prestes atenção à tua vida, que teu estado de alerta seja teu guia. 

Esta vida não é uma prova, nem um degrau, nem um passo no caminho, nem um ensaio, nem um prelúdio para o paraíso. Esta vida é o único que há, aqui e agora; isto é único de que precisas para crer em mim e receber da vida. Eu te fiz livre, isto é, relativamente responsável. Não há prêmios nem castigos. Não há pecados nem virtudes. Ninguém preenche um placar. Ninguém leva um registro. Tu és condicionalmente livre para fazer de tua vida uma dádiva ou uma ameaça, um céu ou um inferno.
 Eu não te posso dizer se há algo depois desta vida, mas posso te dar um conselho. Vive como se não o houvesse... Como se esta fosse tua única oportunidade de existir, de aproveitar, de amar.
 Assim, se não há nada, terás aproveitado da oportunidade que te dei, sendo correto e vivendo feliz. E se houver, tem certeza de que eu não te vou perguntar se foste comportado ou não. Só vou te perguntar se tu gostaste: se te divertiste e do que mais gostaste?
 O que aprendeste? O bem que fizeste? Para de apelar para mim - isto é supor, adivinhar, imaginar. 
Eu não quero que, assim, acredites em mim.

 Quero que me sintas em ti. Sim, quero que me sintas em ti quando beijas tua amada, quando agasalhas tua filhinha, quando acaricias teu cachorro, quando tomas banho no mar. 
Para de me louvar! 
Que tipo de Deus ególatra tu acreditas que eu seja? Aborreço-me quando me pedem desculpa. Canso-me quando me agradecem. Tu te sentes grato? Basta isto. 
Para de complicar as coisas e de repetir como papagaio o que te ensinaram sobre mim. A única certeza é que tu estás aqui, que estás vivo e que este mundo está cheio de maravilhas. 
Demonstra-o, cuidando de ti, de tua saúde, de tuas relações, do mundo. Te sentes olhado, surpreendido, admirado? Expressa tua alegria! Este é o jeito, o único, de me louvar. Entendeste? Para que precisas de mais milagres? Para que tantas explicações? 
Não me procures fora! 
Não me acharás. Procura-me dentro de ti, nos outros, nas coisas e, sobretudo, nas relações que vives. Aí é que estou, sempre estarei, abraçado contigo." 

BARUCH SPINOZA
Filósofo – 1732 – 1777

14 de dezembro de 2011

Passos para a prosperidade!


 
"Todo ser humano tem como parte de sua natureza o desejo de prosperar, mas, infelizmente, são poucos os que conseguem. A maioria permanece por toda a vida no mesmo lugar e, às vezes, até regride.

O ser humano engana-se quando pensa que para conquistar a prosperidade é preciso apenas de bens materiais. Ter prosperidade significa ter uma vida abundante em todos os sentidos: profissional, pessoal e espiritual. É viver valorizando o prazer de amar. sonhar e conquistar.

No caminho que leva à prosperidade há 10 passos essenciais que auxiliam na auto-evolução e contribuem para que as pessoas que nos rodeiam também se desenvolvam.

1) TER OBJETIVOS DE VIDA:
Uma pessoa sem objetivos é como uma folha seca ao vento. É levada para qualquer direção, em qualquer momento. Existem dois tipos de objetivos: os materiais e os espirituais. Os ligados à matéria são automóveis, jóias, roupas, imóveis etc. E os espirituais são a conquista de um valor abstrato como, por exemplo: desenvolver a paciência, ter mais equilíbrio, ser mais otimista, entre outros. 0 planejamento é imprescindível para que todos os objetivos se concretizem.

2) DESENVOLVER A AUTO-ESTIMA:
O amor próprio é a maior abundância que podemos ter. Quem não se ama leva uma vida amarga e espalha pessimismo ao seu redor. A busca de si é primordial para qualquer realização na vida. A virtude de ter uma elevada auto-estima pode garantir o prazer e a alegria de estar passando por este lindo planeta.

3) APRENDER A UTILIZAR A MENTE:
Temos um supercomputador capaz de realizações ilimitadas que está anatomicamente embutido em nosso crânio. Aprender a programá-lo é fundamental, pois além de gerar energias que nos dão forças para o dia-a-dia, a mente cria campos eletromagnéticos que atraem todos os nossos desejos e pensamentos.

4) TER UMA PERSONALIDADE AGRADÁVEL:
Tratar bem as pessoas; aprender a colocar-se no lugar delas; chamá-las pelo nome; ser humilde; interessar-se por elas; saber ouvir e principalmente elogiar, reconhecer e respeitar; são atitudes que lubrificam as engrenagens do dia-a-dia e devem ser utilizadas para quem quer prosperar. São as pessoas que nos levantam ou que, no alto, nos matem. Criar relações desarmoniosas faz minar as energias celestiais, as quais poderiam ser utilizadas para grandes realizações.

5) DESENVOLVER A PERSISTÊNCIA:
O fracasso é o sucesso em processo. Desistir de um sonho é o mesmo que anunciar que está morrendo. A persistência é a mãe do sucesso. É ela que materializa os nossos sonhos. Mas é importante lembrar dos ensinamentos da oração: "Pai me dê forças para as coisas que eu posso mudar, serenidade para as que eu não posso e sabedoria para encontrar a diferença".

6) TER FLEXIBILIDADE PARA MUDANÇAS:
A velocidade de mudança do mundo é algo assustador. Sessenta por cento do Produto Interno Bruto (PIB) japonês do ano 2000 está na venda de produtos que ainda não existem. Uma mente inovadora e criativa é fundamental para a sobrevivência, principalmente na vida profissional. 0 que deu certo no passado não garante mais o sucesso no presente. Devemos estar atentos e perceber que a vida é diferente a cada dia. Pessoas que estão fazendo as coisas do mesmo jeito que sempre fizeram estão ficando para trás. Mudar para melhor é a única saída.

7) MELHORAR A VIDA DAS PESSOAS
Cada pensamento, palavra ou atitude que envolve nossos projetos de vida, se estiverem fundamentados com o desejo sincero de ajudar as pessoas, recebe uma poderosa força cósmica que faz prosperar com muito mais intensidade. Quando o nosso sonho de vida envolve a alegria de outras pessoas, ele passa a ter força.

8) CONHECER E USAR OS DONS E TALENTOS:
Nossos dons e talentos são as maiores ferramentas que temos contra a pobreza e a falta de realização. A falta do autoconhecimento é a maior causa do fracasso, pois quem tem consciência dos seus verdadeiros dotes naturais pode produzir diamantes, pois já descobriu que sua alma é feita de um material superior. É como se Deus tivesse nos dito: "meu filho, você vai nascer na Terra e vai ser muito próspero. mas será necessário utilizar os seus dons e talentos". Mas quando ele disse a palavra próspero, nós mergulhamos em direção a Terra e não terminamos de ouvir o restante da recomendação.

9) TRABALHAR COM AMOR:
Colocar amor no trabalho é essencial para o sucesso. Nunca vamos conhecer alguém bem sucedido que não tenha prazer no que faz, ou que trabalhe apenas por obrigação ou necessidade. Quem trabalha com amor está impregnando vida, energia positiva e prosperidade em tudo que toca. Realizar trabalhos com dedicação e amor é fazer jus à virtude de ser filho de Deus,

10) TER LIGAÇÃO COM DEUS
Sentir a presença de Deus, independente da religião ou seita que se segue, é estar em contato com toda a abundância existente. Devemos saber entregar-se a Ele, perceber que somos abundantes por natureza e que a prosperidade é como um oceano, onde cada um pega o que o coração permite. E lembre-se: um coração livre, puro e bondoso é capaz de desfrutar de todo oceano, enquanto outros disputam para pegar com baldes um pouco da água, se esquecendo que já tem o oceano. Esta é uma das principais atitudes que limita a humanidade a prosperar."

Marcelo de Almeida
Fonte:http://maianallena.blogspot.com

Couraças Musculares - 7 Segmentos Corporais!


"1. OCULAR: complexo, compreende cérebro, audição e visão.
Os olhos têm a função de contato, impressividade e expressividade.
O encouraçamento deste segmento pode se expressar como desatenção, cefaléias, fotofobia, falta de contato, disfunções do movimento ocular. Principal emoção contida: MEDO.

2. ORAL: A boca é o sistema equilibrador de todo nosso sistema energético, possibilitando o segundo ato vital do ser humano que é a sucção.
Couraças neste segmento podem se expressar pela contração e tensão excessiva dos músculos mastigatórios como bruxismo noturno (ranger os dentes dormindo) e distúrbios da articulação têmporo-mandibular. Principal emoção contida: RAIVA

3. CERVICAL: O segmento cervical serve de ponte e ligação entre a cabeça - pensamento e consciente e o corpo -desejos e vontades - inconsciente. Inclui músculos da fala, deglutição, sustentação e movimentos da cabeça, glândula tireóide. A postura da cabeça e pescoço expressam a forma em que a pessoa se coloca no mundo: orgulho, submissão, ameaça, etc. A vocalização indica como a pessoa expressa suas emoções, relacionando-se com o ambiente. Principal emoção contida: NARCISISMO.
Sintomas e encouraçamento englobam: alteração do timbre da voz, sensação de "bolo" na garganta, tosse nervosa, dificuldade de chorar e gritar, distúrbios posturais, torcicolos, cefaléias de origem cervical, artrose cervical.Choros e gritos contidos, bem como "nãos" não ditos contribuem para o encouraçamento deste segmento.

4. TORÁCICO: Ligado à vitalidade da pessoa, ao importante processo da respiração e a órgão vitais de troca energética entre o meio interno e externo. 
Representa a forma em que a pessoa entra em contato com o meio externo e sociedade e sua capacidade de amar.
A respiração alterada por encouraçamento neste segmento pode ser expressa através da dificuldade para expirar (botar o ar para fora) e consequentes deformidades torácicas como o peito inflado, doenças respiratórias como asma.

Uma pessoa com a parte anterior do tórax fechada e encurtada associada a um arqueamento exagerado das costas (hipercifose torácica ou corcunda) se relaciona, segundo Lowen, ao excesso de medo do contato e à raiva contida.
Através da respiração, exercícios visando alongar a musculatura encurtada e reequliibrar a alongada, propiciamos o desbloqueio desta couraça, abrindo seu coração e sua autoconfiança e a capacidade de amar.

5. DIAFRAGMÁTICO: Está diretamente relacionado à respiração e às emoções. Órgãos: diafragma, fígado, vesícula, estômago e duodeno.

6. ABDOMINAL: Relaciona-se às emoções e sensações mais primitivas. Sintomas de encouraçamento incluem: musculatura abdominal flácida ou hipertônica, gerando quadros de dores lombares, constipação ou diarreia.

7. PÉLVICO: Tem a ver com a sexualidade humana e com a maneira em que se relaciona e transforma essa energia. A energia sobe pelos pés, pernas, chegando à pelve. A forma de contato dos pés e pernas com o chão indicam o grau de estabilidade, segurança e independência do indivíduo. Joelhos levemente dobrados (fletidos) e dedos em garra indicam pessoas muito terra e com dificuldades de abstrair, ousar ou criar. O contrário, ombros como se fossem ombreiras, altos, e dificuldade de colocar o calcanhar no chão refletiriam dificuldades de encarar o aqui e agora, de "aterrar".
A pelve constantemente contraída (em retroversão) estaria relacionada com a perda constante de energia sexual, implicando na falta de energia para realizações.
Já o famoso "bumbum empinado" (com a pelve em anteroversão) seria um indicativo de excesso de energia sexual não canalizada por frustrações, medo ou raiva.
"O ideal é sempre o equilíbrio"."

Lowen, Alexander - Bioenergética (1975) - São Paulo, Ed. Summus, 6ª edição, 1982.

13 de dezembro de 2011

Dezoito maneiras de viver bem por Dalai Lama!


Aproveitando que estamos ás vésperas da chegada de mais um  novo e fantástico ano, compartilho com meus amigos estes maravilhosos e iluminados conselhos e dicas do Dalai Lama, afinal, somos merecedores de toda a felicidade e alegria que o universo tem em abundância ... depende somente de nós e das nossas escolhas mergulharmos nesta energia!

1-"Leve em consideração que grandes amores, e grandes realizações envolvem grandes riscos.
2-Quando você perder, não perca a lição.
3-Siga os 3 Rs: respeito por você; respeito pelos outros; responsabilidade sobre suas ações.
4-Lembre-se de que não conseguir o que se quer algumas vezes é um tremendo golpe de sorte.
5-Aprenda as regras, assim você saberá como quebrá-las devidamente.
6-Não permita que uma pequena disputa prejudique uma grande amizade.
7-Quando você perceber que cometeu um erro, tome decisões imediatas para corrigi-lo.
8-Passe algum tempo sozinho todo dia.
9-Abre seus braços às mudanças, mas não abandone seus valores.
10-Lembre-se de que o silêncio às vezes é a melhor resposta.
11-Viva uma vida boa e honorável. Assim, quando você envelhecer e voltar no tempo poderá aproveitá-la uma segunda vez.
12-Uma atmosfera de amor na sua casa é a base para a vida.
13-Nos desentendimentos com aqueles que ama, lide somente com a situação em questão. Não revolva o passado.
14-Divida seus conhecimentos. É uma forma de atingir a imortalidade.
15-Seja gentil para com a terra.
16-Lembre-se de que o melhor relacionamento é aquele no qual o amor pelo outro excede a necessidade dele.
17-Julgue seu sucesso pelas coisas das quais você teve que abrir mão para consegui-lo.
18-Aproxime o ato de amar ao de cozinhar, ouse despreocupadamente".

Dalai Lama
Fonte:jornalternativonline.com.br

12 de dezembro de 2011

Tao, Centramento e Maturidade... por OSHO!

 
"O Tao diz: não há necessidade de estar com pressa porque a eternidade está disponível para você. Plante as sementes no tempo certo e espere; a primavera virá; ela sempre vem. E quando a primavera vier, as flores aparecerão. Mas espere, não tenha pressa.
Existe grande paciência na natureza e o Tao acredita no caminho da natureza.
Tao significa exatamente natureza. Assim o Tao nunca está com pressa; isto tem que ser entendido.

O ensinamento fundamental do Tao é: aprenda a ser paciente. Se você puder esperar infinitamente, a iluminação pode mesmo acontecer instantaneamente. Mas você não deve pedir para que ela aconteça instantaneamente: se você pedir, pode ser que nunca aconteça.
O seu próprio pedido se tornará um obstáculo. O seu próprio desejo criará uma distância entre você e a natureza. Permaneça em sintonia com a natureza, deixe que a natureza tenha o seu próprio curso...
 Mesmo que ela demore séculos para chegar, ainda assim ela não está atrasada; ela nunca está atrasada. Ela sempre chega no momento certo.

O Tao acredita que tudo acontece quando é necessário; quando o discípulo está pronto, o Mestre aparece. Quando o discípulo está finalmente pronto, Deus aparece.
O seu valor, o seu vazio, a sua receptividade, a sua passividade tornam isto possível; não a sua pressa, não a sua correria, não a sua atitude agressiva. Lembre-se: a verdade não pode ser
conquistada. É preciso entregar-se à verdade, é preciso ser conquistado pela verdade.
Mas toda a nossa educação, em todos os países, ao longo dos séculos tem sido de agressividade e de ambição. Nós tornamos as pessoas muito rápidas. Nós as tornamos muito medrosas. Nós lhe dizemos: 'tempo é dinheiro e é muito precioso. Se o tempo for perdido uma vez, ele ficará perdido para sempre, por isso corra; tenha pressa'. Isto tem levado as pessoas à loucura. Elas correm de um ponto a outro; elas nunca curtem lugar algum.... E elas pensam que estão indo a algum outro lugar...

O Tao é o caminho da natureza, do jeito que as árvores crescem e os rios correm e os pássaros e as crianças... exatamente do mesmo jeito crescemos para Deus.
Não tenha pressa e não se desespere. Se você fracassar hoje, não perca as esperanças. Se você fracassar hoje, isto é natural. Se você continuar fracassando por alguns dias, isto é natural.
As pessoas têm tanto medo de fracassar que, devido a este medo, nunca arriscam fazer tentativas. Existem muitas pessoas que nunca se apaixonaram porque elas têm medo. Quem sabe? Elas podem ser rejeitadas, por isso elas decidiram permanecer sem amar, assim ninguém jamais as rejeitará.
As pessoas têm tanto medo de fracassar que elas nunca tentam qualquer coisa nova.
Quem sabe? Se elas fracassarem, o que poderá ocorrer? E naturalmente, para se movimentar no mundo interior, você terá que fracassar muitas vezes, porque você nunca se movimentou ali antes.

Toda a sua habilidade e eficiência têm sido nos movimentos externos, na extroversão. Você não sabe como se movimentar internamente. As pessoas escutam as palavras 'movimente-se internamente, vá para dentro', mas isso não faz muito sentido para elas.
Tudo o que elas sabem é como ir para fora, é como ir para o outro. Elas não conhecem qualquer caminho de volta para si mesmas. Por causa dos seus velhos hábitos, é muito provável que você fracasse muitas vezes. Não perca as esperanças.

A maturidade chega vagarosamente. É certo que ela chega, mas isto leva um tempo. 
E lembre-se: para cada pessoa ela chegará num ritmo diferente, por isso não compare, não comece a pensar: 'alguém está se tornando tão silencioso, e tão feliz, e eu ainda não
alcancei isto. O que está acontecendo comigo'?
Não se compare com quem quer que seja, porque cada um viveu de uma maneira diferente em suas vidas passadas. Mesmo nesta vida, as pessoas têm vivido diferentemente.

Assim, tudo depende de suas habilidades, de sua mente, de seu condicionamento, de sua
educação, da religião na qual você foi criado, dos livros que tem lido, das pessoas com as quais tem vivido, da vibração que criou dentro de si mesmo.
Tudo dependerá de mil e uma coisas, mas é certo que ela chegará. Tudo que se precisa é paciência, trabalho silencioso, trabalho paciente e o centramento acontece e a maturidade chega.
Na verdade, a pessoa madura e a pessoa centrada são apenas dois aspectos de um mesmo fenômeno... Com a maturidade, o centramento surge.
Maturidade e centramento são dois nomes para uma mesma coisa. Mas a primeira coisa a ser lembrada é que ela chega gradualmente.
Não compare e não tenha pressa".

Osho em The Secret of Secrets

9 de dezembro de 2011

Faxina! [uma reflexão oportuna]


Mais um ano vai chegando ao fim, este é um excelente momento para  jogar fora tantas coisas acumuladas e desnecessárias. Um bom momento para refletir sobre o quanto evoluimos, aprendemos e aproveitar para  eliminar  principalmente a insegurança que conduz  ao perigo de querer agradar aos outros em primeiro lugar, ao invés de escutarmos e acolhermos a nós mesmos. Um novo ano vai começar, uma nova e maravilhosa  possibilidade de recomeço,  sempre presente na nossa vida..
  
"Estava precisando fazer uma faxina em mim... 
Jogar fora alguns pensamentos indesejados, 
Tirar o pó de uns sonhos, 
lavar alguns desejos que estavam enferrujando...
Tirei do fundo das gavetas lembranças que não uso e não quero mais. 
Joguei fora ilusões, papéis de presente que nunca usei, sorrisos que nunca darei... 
Joguei fora a raiva e o rancor nas flores murchas 
Guardadas num livro que não li. 
Peguei meus sorrisos futuros e alegrias pretendidas e as coloquei num cantinho, bem arrumadinhas. 
Fiquei sem paciência! Tirei tudo de dentro do armário e fui jogando no chão: 
paixões escondidas, desejos reprimidos, palavras horríveis que nunca queria ter dito, mágoas de uma amiga sem gratidão, lembranças de um dia triste... 
Mas lá havia outras coisas... belas!!! 
Uma lua cor de prata... os abraços...
aquela gargalhada no cinema, o primeiro beijo...
o pôr do sol... uma noite de amor .
Encantada e me distraindo, fiquei olhando aquelas lembranças. 
Sentei no chão, 
Joguei direto no saco de lixo os restos de um amor que me magoou. 
Peguei as palavras de raiva e de dor que estavam na prateleira de cima - 
pois quase não as uso - e também joguei fora! 
Outras coisas que ainda me magoam, coloquei num canto para depois ver o que 
fazer, se as esqueço ou se vão pro lixo. 
Revirei aquela gaveta onde se guarda tudo de importante: amor, alegria, sorrisos, fé….. 
Como foi bom!!! 
Recolhi com carinho o amor encontrado, 
dobrei direitinho os desejos, 
perfumei na esperança, 
passei um paninho nas minhas metas 
e deixei-as à mostra. 
Coloquei nas gavetas de baixo lembranças da infância; 
em cima, as de minha juventude, e... 
pendurado bem à minha frente, 
coloquei a minha capacidade de amar... e de recomeçar"...

                                                 Martha Medeiros

8 de dezembro de 2011

Queridos amigos!


Queridas(os) amigas(os) virtuais, 2011 está chegando ao fim... tempo, tempo, tempo!!! um ano maravilhoso, intenso, onde inumeras experiencias marcaram  nossas almas,  sorrisos marcaram nossas faces, lágrimas e emoções nos auxiliaram a desvendar ilusões, estamos avançando, evoluindo, transcendendo.
 Eu não os conheço mas os sinto, não vejo seus rostos mas capto suas vibrações, nós falamos a linguagem do  amor incondicional e ansiamos pela beleza e plenitude da vida, este contato  alimenta esta preciosa energia que nos torna íntimos e únicos e assim  nos completamos  porque somos todos um.

Ainda não é minha mensagem de final de ano, é só um recado que senti muita vontade de compartilhar com voces, aproveitando esta  energia que transborda no meu coração olhando para a lua linda, meiga e generosa  que está a brilhar e sorrir para mim, aqui na minha janela.... nossa, é lindo demais!!!!!

Assim como linda é esta maravilhosa mensagem do Paulo Roberto Gaefke que compartilho com voces.... obrigada e beijos no coração! 

"Não tenho o poder de tirar a sua dor,
e acredito que ninguém o tem.
Nem mesmo Deus, pode interferir no nosso arbítrio,
se é tempo de chorar, chore,
se é tempo de gemer, gema,
se é tempo de recordar, recorde,
se é tempo de saudade profunda, sinta-a.
Mas, não se demore além do tempo necessário.
Tempo que o próprio tempo vem dizer-lhe.
Este sim, poderoso consolador,
vem abrandar, jamais apagar,
a marca da dor,usando a alquimia das horas,
a magia simples do amor.
Por isso,
Não te peço que arrume outro amor hoje,
para esquecer este que tanto marcou e partiu.
Nem sou louco para te pedir que perdoe imediatamente,
quem tanto mal te fez.
Nem eu, nem Deus, que tudo espera,
Senhor do tempo, Senhor do Amor,
envia refrigérios para a alma aflita,
na forma de uma música bonita,
uma mensagem bem escrita,
uma poesia, ainda que sem rima,
que toca no coração,
pega a sua mão e diz:
-Vem, é tempo de renascer.
Se a lágrima que ainda rola no seu rosto,
queima a face, é tempo de refletir.
Talvez seja a hora de recomeçar o caminho,
seguir pela estrada que ainda reclama passos,
ir adiante, além da dor e do grito,
rumo ao seu futuro, rumo ao infinito.
Deus te ama profundamente…
Eu acredito em você"

Paulo Roberto Gaefke

Linkwithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...