24 de agosto de 2017

Quem é ou o que é a alma?


"Querido, eu sou Jeshua, seu amigo. Estou aqui neste momento como um irmão. Aceite a minha companhia, a minha presença, pois não estou longe. Quero tocar seu coração com minhas mãos, para relembrá-lo de quem você é e da unidade que nos liga. Cumprimente-me e abra seu coração para mim. Sou um mensageiro da Unidade e ajoelho-me diante de você, porque você é meu irmão, e vejo em você um igual, um companheiro de alma.

Respeito o que você faz e o que você é na Terra. Este é um dos lugares mais sombrios para uma alma estar encarnada num corpo humano. Quando está aqui, lhe é extremamente difícil lembrar-se de quem é, da sua origem cósmica, sua grandiosidade, sua amplidão, sua natureza eterna, porque tudo aqui parece estar voltado para o seu esquecimento de si mesmo, da sua essência mais profunda. Desde a mais tenra idade, você aprende a confiar apenas nas suas percepções sensoriais, naquilo que seus olhos, ouvidos e nariz lhe dizem que é a realidade verdadeira. 

O mundo material à sua volta é visto como a síntese do que é real, sólido e verdadeiro. Principalmente nesta época, em que a visão científica englobou tudo, existe um grande ceticismo a respeito da capacidade de enxergar mais além da realidade física, sensorial. Enxergar com a visão interna, sentir e intuir com o coração… tudo isto é descartado como não real, como tola superstição. Isto é um grande paradoxo, pois é somente no nível da alma que você descobre quem realmente é. É exatamente no mundo interno, e não no externo, que você encontra a si mesmo. Você acaba se desviando do caminho, nesta sociedade, porque muita ênfase é colocada na importância das aparências e no conhecimento exterior e comprovável. De acordo com esta sociedade, para que algo seja considerado real e verdadeiro, precisa ser percebido com os sentidos ou deduzido pela mente.

Mas, o que dizer de todos os sentimentos que as pessoas vêm enfrentando, como a solidão profunda e a futilidade, com as quais muitos têm que lidar? Este não é apenas um problema individual, mas fundamental no mundo. Há uma crise existencial profunda no mundo, que corrói o coração da maioria dos indivíduos. Percebe-se uma carência da alma como fonte de significado na vida diária.

Quem ou o que é essa alma? Nos dias de hoje, é corajoso aquele que busca explicitamente a alma; que deixa de lado a compulsão do pensamento racional restritivo e olha para dentro de si mesmo, procurando o que está vivo no seu nível mais profundo, principalmente se for diferente dos padrões existentes e dos conceitos sociais. E assim, lentamente penetra seu mundo interior, onde encontra, não só a luz, mas também as trevas. Pois, justamente quando se abre a porta do mundo interior, é que o indivíduo se torna consciente de todas as suas partes sombrias. É então que ele é testado e terá que confiar na realidade maior dessa alma, para perceber que mesmo as partes aparentemente mais sombrias têm significado.

É desesperadamente necessário reconhecer e sentir a alma, neste mundo. Este é o caminho de volta ao Lar, de volta a quem você verdadeiramente é. A partir da luz que se irradia de lá, é que você pode incutir novas ideias no mundo e imbui-lo de nova energia, coragem e confiança. Há tantas coisas necessárias aqui, que podem fluir para o mundo através do canal de uma alma desperta! Há tanta tristeza, tanta dor e sofrimento neste mundo… e não falo isto para desencorajá-lo, mas para ressaltar o quanto é importante e urgente que você reconheça e sinta a alma em sua vida. Desta forma, você se torna a luz, não apenas para sim mesmo, mas também para os outros.

Como você se conecta com a sua alma? Este mundo está tão alienado da alma, que esta pergunta é raramente feita. É uma pergunta que nunca é apresentada às crianças enquanto estão crescendo e frequentando a escola. Como você se conecta com seu mundo interior? E não somente com suas emoções e humores transitórios, mas com o que está por trás do seu mundo interior. Existe um mundo mais permanente, o mundo da sua alma, da energia do seu “Eu” único, da energia da sua alma? Este provavelmente nem sequer é reconhecido, portanto você não é ensinado a perguntar por ele ou se conectar com esse mundo. E o resultado é esta pobreza espiritual que existe aqui!

Para lhe explicar o que é a realidade da alma, convido-o a imaginar que você está na última hora da sua vida, que a morte está se aproximando e você vai atravessar o limiar da vida pós-morte. Você já fez isto diversas vezes, porque já viveu muitas vidas na Terra e, em todas elas, atravessou esse limiar no final, algumas vezes com mais paz em seu coração do que em outras.

Mas mesmo quando teve uma transição difícil, com uma sensação de luta em seu coração, você também vivenciou uma libertação intensa, no momento em que, como alma, desprendeu-se da forma física. Quanto mais em paz você morre, mais feliz é a transição, mas, em qualquer caso, no desprendimento do corpo terreno há uma profunda sensação de alívio, de voltar a um modo natural de ser, que lhe é tão familiar que você não entende como pôde ter se esquecido.

Venha comigo, abandone todas as ideias negativas sobre a morte e imagine que está no fim da sua vida. Você desiste da luta e, no momento em que solta seu último suspiro, você – sua alma – deixa seu corpo terreno, muito delicada e suavemente. Com facilidade, você ascende para fora do seu corpo e, no mesmo instante, sente a leveza; não apenas a luz ao seu redor, mas a leveza do seu corpo, a flexibilidade, agilidade e ausência de peso e de esforço. Você é como um pássaro que, imediatamente, sai voando para onde seu coração o leva.

Deixe sua imaginação voar. Imagine o que acontece quando está livre do seu corpo terreno, e dirija-se para onde seu coração o atrair, em termos de um novo ambiente. Talvez você veja um jardim, ou o mar, ou uma floresta, que aparece para você sem esforço; e em tudo o que vê, você percebe e sente a vida que vem de seu interior. Tudo o que vive olha para você com benevolência. Um convite amável emana de tudo o que você vê. E há uma beleza deslumbrante e esplêndida! Você sente a alegria borbulhando em seu coração, e então pensa: “Ah, é assim que deveria ser! Isto é normal, isto é natural! Aqui eu estou em casa, no meu Lar!”

Você vai encontrar amigos e parentes falecidos, e também guias que o receberão com o coração aberto, que silenciosamente lhe permitirão ser quem você é, e que lhe estenderão a mão amiga quando necessário. Você acabou de entrar na dimensão da alma. Tudo aí é diferente. Espaço e tempo parecem muito mais flexíveis, porque é possível estar em um outro lugar, se assim você quiser e se seu coração for atraído para lá. O interior tem precedência sobre o exterior.

Se você se conecta com alguém no nível interno, a partir do coração, e seu chamado é respondido, de repente vocês se encontram juntos numa atmosfera física. Embora não tão física quanto na Terra, aqui na vida pós-morte, nós ainda conseguimos conversar em termos de formas. Você tem um corpo, a outra pessoa tem um corpo, e vocês podem se comunicar um com o outro, mas com muito mais facilidade e menos esforço do que estão acostumados na Terra.

Além de espaço e tempo serem mais flexíveis, a forma do seu corpo também o é. A forma que você assume é muito ágil e fluida. Você pode assumir uma forma física e parecer velho ou jovem, a seu gosto. A cor do seu cabelo, dos seus olhos… tudo pode ser modificado; e isto lhe dá alegria! Você escolhe a forma que lhe é mais apropriada internamente, aquela que lhe agrada mais e que facilita sua comunicação com outra pessoa. Nesta dimensão da alma, você percebe que o seu interior dá forma à sua aparência externa. O que vive em seu interior determina o que está fora de você, aquilo que o rodeia. Sinta isto por um momento. O que há no seu interior que dá forma, que atrai e cria essas experiências para você? 

Aparentemente, você não é a forma, você não é seu corpo, porque pode se apresentar em diferentes formas. Você não é o lugar onde mora nem o papel que desempenha, porque isto é muito flexível e dinâmico. O que permanece constante é aquilo que você chama de coração. Sinta seu coração por um momento. Sinta como seu coração, nessa atmosfera diferente que reina desse outro lado, é livre para explorar, descobrir e encontrar, e sinta a alegria de tudo isso. E perceba, então, quanto você sabia, quanto conhecimento havia em você.

Pergunte à sua alma se agora ela quer aparecer para você numa forma alegre, livre e feliz, que é apropriada para este momento. Ou, talvez, sob a forma de uma anciã ou de um ancião… ou de uma criança – tanto faz. A alma agora escolhe a forma adequada para a transmissão mais perfeita de uma mensagem para você. Deixe sua alma aparecer para você por um momento… e se não ouvir nem enxergar nada, então sinta-a. Sinta a dimensão do eterno, da qual você faz parte; e permita que ela o envolva. Houve um tempo em que você era esse pássaro livre; em essência, você é essa alegria, essa liberdade criativa. Permita que ela penetre o seu corpo, e desça até o seu abdome. Seja livre, e viva a partir dessa liberdade interior!

Qual é o propósito da alma na Terra? Por que ela está aqui? A alma quer aprender a despertar nesta dimensão. Esta é uma dimensão na qual você pode facilmente esquecer-se de si mesmo de maneira tão profunda, que se torne totalmente alienado da sua essência.

Sua alma queria estar aqui; ela é um mensageiro de Deus, uma partícula dessa energia todo-poderosa que você chama de Deus. Sua alma é uma partícula singular dessa fonte criativa infinita. Ela está trabalhando para se desenvolver ao longo do tempo, mas não deste tipo de tempo que você conhece na Terra. O mundo da alma é muito mais vasto e imensurável do que se pode medir com os padrões terrenos.

Como eu disse, tempo e espaço são muito fluidos e móveis, no nível da alma, e são formados mais a partir do interior do que do exterior. Pode-se dizer que sua alma está emergindo neste processo através do desenvolvimento em todos os tipos de vida, e uma dessas vidas é moldada por você. Você é uma fusão única da sua alma com esta personalidade terrena, portanto ninguém é exatamente igual a você.

Você também é especial para a sua alma. Esta vida é uma circunstância única, na qual sua alma deseja descobrir e entender profundamente o que significa viver aqui num corpo, e também doar de si mesma. Sinta o quanto sua alma é corajosa e grandiosa, embora, em essência, você é que se encarregue disto; é você que assume o risco deste passo.

Respeite a si mesmo. Você é um grande ser, uma parte inalienável do próprio Deus, embora constantemente se faça tão pequeno e sofra com o preconceito social e os conceitos de bem e mal. Quando lhe peço para se conectar com sua alma, estou lhe pedindo para se unir à sua luz e também ao seu fogo. Luz é fogo também, e fogo representa paixão, entusiasmo, inspiração.

Você é uma alma forte, e para poder empreender uma aventura de encarnação na Terra, precisa de muita coragem. Você assume o risco, porque pode chegar a profundezas inconcebíveis. E, de fato, já chegou nessas profundezas, porque esta não é a primeira vez que está aqui. Você já passou por abismos inimagináveis em suas vidas na Terra e, no entanto, está aqui novamente. Portanto, há em você uma convicção, uma paixão, um fogo que o tornam decidido a estar aqui e deixar sua luz brilhar.

Para conectar-se com esse fogo, é preciso que você enfrente também as emoções sombrias, seu lado sombrio, seja qual for o nome que lhes dê. Tudo o que vive nessas emoções tem uma mensagem para você: a raiva, o medo, o ódio, a resistência… tudo que tem sido rotulado de negativo traz uma força vital dentro de si. Conecte-se com esse reservatório de emoções; invoque-o; dê-lhe permissão para vir à tona escuro e fraco. 

Há em você uma força primitiva. Sinta-a desde o mais profundo do seu ser. Deixe que ela venha da Terra através do seu chacra raiz, e permita-se senti-la. Enraíze-se na Terra, confie na sua força e assuma o seu poder neste planeta – e não vacile, pois você é demasiadamente imenso, belo e rico em tesouros internos, para ainda fazer isso. Precisamos de você na Terra como um farol de luz, e o primeiro passo para isto é que se lembre – que reconheça – quem você é, e que reavive a dimensão da sua alma no seu dia-a-dia, dentro de si.

Comecei esta conversa dizendo que o respeito, que me ajoelho diante de você, e estas não são palavras vazias. Você é um dos que carrega a tocha de luz neste mundo e é contrário às visões de mundo restritivas. E não age assim por meio de palavras ásperas nem pela força, mas através de uma conexão interior com quem você realmente é; colocando a dimensão da alma em primeiro lugar, como fazia naturalmente quando estava naquele outro mundo, antes de vir para cá. Reconhecendo novamente aquela realidade e permitindo que ela se irradie neste mundo em plena convicção, você literalmente traz luz para cá.

Agradeço-lhe por sua presença hoje neste mundo. Não duvide de quem você é. Seja a luz brilhante e bela que você é! Muito obrigado."

© Pamela Kribbe
Fonte: http://www.jeshua.net/mornings/mornings18.htm
www.jeshua.net
Tradução de Vera Correa veracorrea46@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Linkwithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...